FANDOM


Vlouder

Um dia chuvoso, um chocolate quente, um cobertor e um bom filme para passar aquele dia sozinho em minha casa.

Infelizmente o filme escolhido era de terror, e como todos sabem, o cérebro humano fica um pouco paranoico depois de ver algo assustador, mesmo que seja na tela da tv...

faltavam 15 minutos para dar 6 da noite, até ai tudo bem, mas sempre temos aquele pensamento de "preciso falar com alguém sobre esse filme" bom eu realmente tava me sentindo sozinho, e como já foi dito, era um dia chuvoso e não dava para eu sair de casa, apaguei todas as luzes da casa e resolvi subir as escadas e ir para meu quarto e saber a opinião das pessoas sobre o filme, ao entrar no meu quarto percebo que meu teclado não estava na mesa de meu computador, estranhei muito, pois meu quarto tinha chave e nem mesmo minha mãe entrava nele sem minha permissão, com um pouco de raiva eu respirei e pensei "minha mãe deve ter entrado com minha chave sem eu ver e levou meu teclado para limpar ou fazer seilá o que" então eu procurei no meu quarto todo, em cada lugar , sem resultados eu liguei para minha mãe para saber se ela tinha pegado o teclado, ela disse que nem tinha entrado no quarto, fazia sentido pois a chave tava no meu bolso esse tempo todo, e junto com toda aquela paranoia do filme de terror eu pensei meio que com um sorriso de leve "talvez o assassino tenha roubado meu teclado haha" então comecei a descer as escadas mas no meio do caminho eu parei porque estava tudo numa imensa escuridão e já tinha dado as 6 da noite, junto com muita chuva meu medo aumentou bastante, veja bem eu nunca fui desses de ter medo do escuro nem nada disso, mas os instintos humanos são feitos para nos proteger, eu fiquei olhando para aquela imensa escuridão um pouco assustado mesmo sem motivos, pois eu não tinha visto muito menos ouvido nada, então eu liguei as luzes, e fui procurar tudo atrás de meu teclado, e nada daquele maldito aparecer, eu simplesmente comecei a falar comigo mesmo para disfarçar a solidão e continuei procurando o teclado em todas as estantes, e sai derrubando tudo para achar, minha mãe não estava em casa mesmo, até que eu ouvi um barulho que vinha do quarto da minha mãe, de principio eu apenas ignorei e continua na busca, tenho certeza que assim como eu você também já tenha tido a sensação de que tem alguém ali mesmo estando completamente sozinho ou será mesmo que estava sozinho?

Bom, a chuva tava começando a parar, isso era incrível, eu poderia sair, mas não, não podia, ao olhar pela minha janela que ficava em meu quarto eu notei, o quanto escuro e sombrio estava aquela rua, nunca tinha ficado daquela maneira, todos os postes com luzes desligadas, todas as casas com luzes desligadas, como se todos tivessem ido embora, exceto pela pessoa que estava sentada em frente a minha casa, era estranho a chuva tinha acabado a menos de 1 minuto e aquela pessoa estava lá, como se tivesse a muito tempo, bom, uma pessoa normal atenderia aquela pessoa que de fato estava sofrendo na chuva, tremendo de frio, mas como eu estava meio paranoico depois de assistir aquele filme, fiquei com um pouco de medo, então aproveitando que tinha acabado a chuva e liguei para uma amiga minha que gostava de assistir uma série comigo normalmente, ela atendeu e eu pedi para que ele viesse rapidamente, após isso corri para baixo para trancar a porta, para minha surpresa a porta estava completamente aberta, mas não escancarada apenas estava sem chave ou seja qualquer um poderia abri-lá só de empurra-la, tranquei a mesma e fui olhar pela janela que ficava do lado da porta para observar a pessoa do lado de fora, e uma coisa me surpreendeu bastante, a pessoa ou coisa não estava tremendo de frio, estava se contorcendo como se tivesse com dor nas costas, foi uma das coisas mais bizarras que eu já vi, eu deixei escapar um leve "ah" bem baixinho mesmo, nessa hora aquela coisa começou a se virar lentamente em minha direção e quando eu ia olhar em seus olhos eu sai da janela o mais rápido possível, corri para meu quarto para ter a visão daquela coisa horrível, ao olhar notei que aquele cara tava com uma coisa em seus braços, era meu teclado, como? eu me perguntei, como? até que eu pensei, enquanto estava assistindo o filme a droga da porta estava aberta o tempo todo e o sofá fica de costas para a escada, aquela coisa tinha entrado em minha casa, de alguma forma pegado minhas chaves e roubado meu teclado, mas, por que meu teclado? tanta coisa de valor e ele pegou um teclado de computador, não fazia sentido, ele olhou para mim e deu um sorriso assustador, e saiu andando na chuva que retornou e com o dobro da densidade, ele simplesmente saiu andando com meu teclado sobre sua cabeça para o "proteger" da chuva, eu tinha que tomar uma atitude, aquele cara tinha entrado na minha casa roubado meu teclado e ficou bastante tempo sentado em minha calçada! mas pra que? eu desci o mais rápido possível para cozinha para pegar uma faca, peguei a maior que tinha no momento, coloquei um casaco, e estava pronto para correr atrás daquele maldito, mas eu me lembrei de que a garota estava vindo pra minha casa, eu tinha que ligar para ela, eu liguei, e disse que caso ela chegasse e eu não estivesse em casa ela entrasse pois a porta estaria aberta, após isso liguei para policia e contei tudo o mais rápido possível, e corri atrás daquele maldito ladrão, mesmo com o medo e a vontade de recuar eu continuei, era incrível ele estava andando e eu correndo mas parecia que a situação estava trocado, ele era bem mais rápido que eu, a rua estava totalmente escura mas com a lua eu conseguia ver um pouco mas eu conseguir chegar perto dele, ao me aproximar puxei seu ombro pra traz fazendo olhar para mim, mas quando eu olhei notei que não era ele, era apenas um homem normal, como uma caixa de pizza em seus braços,o homem disse "quem é você, eu não tenho dinheiro" e correu, eu tentei explicar mais era tarde, e eu ouvi uma risada atras de mim, era ele, aquela besta, imunda, com seu sorriso escroto no rosto, e ele me olhou no fundo dos olhos estávamos numa distancia de 3 a 4 metros, e com o medo tomando conta de todo meu corpo, meu coração tinha congelado, mas de alguma maneira eu consegui voltar a realidade, fechei meus olhos. olhei para o chão e voltei a olhar o imbecil, ele não para de me encarar momento algum, eu puxei a minha faca e apontei para ele como se eu fosse perfura-lo, e disse...

"Por que você roubou meu teclado cara?"

Com uma voz estranha, parecia a voz de um velho, como se fosse a voz da morte, calma,fria e medonha.

"Porque eu quis" respondeu ele

Após ele ter respondido daquela maneira meu coração gelou mais uma vez, eu estava tremendo de medo, era estranho como nenhum vizinho saiu de casa durante esse tempo, nenhum carro passou, nenhum gato chegou a miar, nem um cachorro a latir, por que daquilo, bom não me pergunte, eu não sei...

Depois de eu ter voltado ao "normal" eu me atrevi e perguntei outra coisa, pergunta que eu me arrependo até hoje de ter perguntado, na verdade me arrependo de ter saído de casa para persegui-lo...

"O que é você" perguntei

"Meu nome é Vlouder, quanto ao que sou, você nunca compreenderá" disse ele

sabe aquele sentimento de arrependimento? pois é, eu estava sentindo muito fundo, pedindo a Deus para que eu tivesse na minha cama, com meu cobertor assistindo em meu computador com a garota que estava chegando em minha casa.

infelizmente, nem tudo que se pede se tem.

depois de ele ter dito seu nome eu pensei, ele deve ser só um ladrão com uma máscara muito realista, e eu me aproximei dele para conseguir pegar meu teclado, mas ele disse...

"Se eu fosse você não tentaria retomar seu teclado meu jovem"

Uma parte de meu cérebro pedia para que eu deixasse aquilo para trás afinal era apenas um teclado, mas a outra parte insistia, não era apenas um teclado, era o meu teclado, teclado que eu suei para poder comprar, um teclado de ótima qualidade, não podia deixa um ladrãozinho de merda entrar em minha propriedade e roubar meu teclado assim, então eu partir pra cima daquele maldito para tentar mata-lo mas algo aconteceu, ele parou meu ataque com sua mão, sua mão era parecida com a de um macaco, toda peluda, com manchas roxas, molhada e grande, dava duas mãos humanas naquela pata ou mão, como quiser chamar, minha faca atravessou sua gigante mão, eu eu larguei ela, e tentei puxar meu teclado que estava em sua outra mão, e eu puxei com as duas mãos e ele apenas com uma, resistiu com uma força desumana, e nessa puxa puxa o capuz dele saiu de cima de sua cabeça, o que eu vi foi extremamente bizarro, não era um humano, muito menos um animal, era um rosto coberto por pelos, com olhos de jacaré e com nariz de papagaio, mas com o sorriso, um sorriso familiar, um sorriso que vemos no dia a dia, um sorriso humano, era a coisa mais estranha, bizarra e perturbadora que eu já tinha visto, e ele continuou segurando o teclado de uma forma incrível, puxou com tanta força que eu cai, e retirando a faca de sua mão com a maior facilidade, surpreendente, eu fique pasmo, jogou minha faca o mais longe possivel e disse.

"Cuidado, nem sempre estou com essa paciência"

"Não me mate por favor" falei em um tom desesperador

Ele sorriu para mim com um sorriso de canto a canto, e continuou seu caminho bem lentamente, eu estava chorando até que escutei um carro chegando, era dos pais da garota, que veio deixar ela na minha casa, eu me levantei e corri o mais rápido possível para cumprimentar-los e eu fiquei aliviado, alegre e cansado ao mesmo tempo, um ser humano, um ser humano depois de horas, que saudade de um rosto humano, de um clima onde tudo estava normal, então entrei em casa, e fomos assistir filmes que ela trouxe em seu pendrive, mas nada de terror falei para ela, enquanto ela colocava o pendrive na tv eu subi para o meu quarto para trocar de roupa pois a minha estava toda molhada, chegando la notei que a faca que eu tinha usado para usar no monstro estava lá, com sangue em cima da mesa do meu computador, eu olhei em todo meu quarto para ver se ele estava lá, e eu olhei pela janela do meu quarto, e eu vi, eu vi ele no final da rua com meu teclado em suas mãos dando um tchau de costas, e todas as luzes de minha rua se ligaram depois que ele deu o passo final para sair da rua.

Eu me acordei e eram 14 horas, a hora que meus pais iriam sair, meu teclado estava em meu quarto, e fui assistir um filme de terror, e um sentimento de deja vu veio em minha mente de que algo tinha entrado em minha casa, assim que eles sairam eu tranquei a porta e fui para casa de minha amiga assistir com ela, e estranhamente tudo que aconteceu naquele dia não tinha passado de um sonho, ao menos era o que parecia, quando eu voltei para casa já de manhã estava tudo normal, tudo normal exceto por um motivo, meu teclado tinha sumido...

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória