FANDOM


Latest (1)

Eu já frequentava o Acampamento Rock Water havia quatro anos. Eu amava acampar, poder conhecer rostos novos, me divertir e praticar atividades diferentes. Minha parte favorita era a tirolesa no rio. Uma vez na corda, eu não queria sair de lá. Eu estava tão empolgado em voltar, principalmente porque seria o meu último ano lá. O verão havia finalmente chegado e era hora de ir para o acampamento. 


Quando cheguei, após uma viagem de quarto horas, eu estava muito empolgado. Era uma viagem nostálgica, relembrando todos os meus lugares favoritos. Mas uma coisa de cada vez, minha mãe precisava me levar ao alojamento para me inscrever. Chegando lá, havia muitas pessoas. Esperamos na fila até ser a nossa vez de nos inscrevermos. Antes que nos fossem entregues os papéis, a recepcionista nos contou que haviam ocorrido algumas coisas estranhas a algumas milhas dali, na direção da floresta. Eu meio que ignorei isso.


Minha mãe me ajudou a levar as malas para a cabana. Quando chegamos lá eu estava tão feliz por ver alguns amigos do ano passado. Kyle, um dos meus amigos de longa data do acampamento, estava em um canto arrumando sua cama. Jacob, outro dos meus bons amigos, estava no chão, desfazendo sua mala. E quem poderia esquecer do Brad? Ele estava guardando coisas no armário, como tacos de baseball e de golfe. Quanto às outras crianças, não fazia ideia de quem eram, mas ambas pareciam ter gostado de mim. Descobri que eles eram irmãos, e seus nomes eram Brandon e Nathaniel, e como esse era seu primeiro ano, eles estavam um pouco nervosos. Todos arrumamos nossas coisas e começamos a conversar sobre aventuras passadas no acampamento.


Só depois de uma hora foi que o líder da nossa cabana chegou. Quando ele entrou, olhou pra nós com uma cara meio sombria.


Ele se virou e disse "Olá garotos, serei o líder da sua cabana pelas próximas semanas. Antes de qualquer coisa, devo dizer que algumas coisas mudaram e que teremos que ser mais cuidadosos devido às coisas estranhas que vem acontecendo."


Todos estavam meio desconfortáveis, mas não poderíamos deixar que isso nos impedisse de ter o melhor verão de todos. O dia seguiu normalmente: nos apresentamos, jogamos baralho na nossa cabana, fomos lá fora e jogamos basquete, fomos comer no saguão bagunçado e voltamos para a cabana para dormir. Foi meio estranho que houvesse apenas seis cabanas cheias de gente, normalmente havia cerca de trinta.


Quando acordamos no dia seguinte, estava chovendo bastante. O som da chuva batendo no telhado de metal da cabana ecoava à distância. Ninguém sabia onde o líder do acampamento estava. Nós, crianças, meio que sentamos no meio da cabana, esperando nosso líder voltar. Começamos a contar histórias de fantasmas que ocorreram pelo acampamento. Algumas delas pareciam totalmente estúpidas, mas algumas até que eram assustadoras. Fora da cabana havia cerca de 400 acres de floresta. Nessa floresta havia algumas trilhas com obstáculos, a capela e o rio. Existia mais uma coisa na floresta, que ninguém mais conhecia porque ficava muito afastada. Eram as cabanas originais do Acampamento Rock Water. Só alguns dos líderes conheciam essas cabanas e sabiam como chegar até elas. Supostamente, lá pelo ano de 1900, quando o acampamento foi estabelecido, duas crianças brigaram dentro da sua cabana. Uma criança matou a outra enquanto ela dormia. Ele aparentemente pegou uma pedra pesada e a largou sobre a cabeça do outro garoto. A lenda diz que a presença do garoto morto ainda está à espreita pelo território das velhas cabines e da capela. Alguém até disse que foi até as cabines e viu sua cabeça espiando por uma das janelas.


Nesse ponto, todos na nossa cabana estavam realmente assustados. Eu pude jurar que Brad teve um ataque de pânico. Nosso líder entrou correndo pela porta. Ele disse que precisávamos arrumar nossas coisas e ir para o saguão. Ele ligaria para nossos pais para virem nos buscar de manhã. Nós caminhamos a distância entre a cabana e o saguão debaixo de chuva, encharcando as nossas coisas. Quando chegamos lá, somente outras quatro cabanas estavam presentes. Eu estava sentado perto da lareira com meus colegas de cabana e nós ouvimos pessoas conversando sobre o que estava acontecendo. Alguém tinha dito que toda a cabana seis havia desaparecido após retornar da capela.


Mais tarde naquela noite eu acordei todos os meus amigos. Eu queria ver o que tinha acontecido na floresta. Apesar de hesitarem um pouco, eles concordaram em me acompanhar. Pegamos algumas lanternas e passamos escondidos pelos líderes das cabanas, que dormiam perto da saída. Quando saímos ainda estava chovendo. Mas agora estava puro breu lá fora. Isso não nos impediu de seguir para o bosque.


Quando nosso grupo finalmente chegou à boca da floresta, Brad e Jake não conseguiam mais. Eles voltaram tristes para o saguão, através do atalho nos jardins. Os que restaram eram Kyle, Brandon, Nathaniel e eu. Nós caminhamos lentamente pelo caminho estreito até a capela. De vez em quando tropeçávamos em uma raiz saliente, mas seguimos em frente.


Nós podíamos ver a capela logo à nossa frente, mas havia algo errado. Estava muito quieto. A chuva havia parado. Não havia vento o qualquer tipo de animal à vista. Conforme andamos na direção da capela, Brandon (que estava segurando uma das lanternas) começou a gritar. Ele correu o mais rápido que pôde na direção do acampamento e derrubou sua lanterna. A luz apontava para a capela e por uma das janelas iluminadas nós vimos o rosto de uma criança, chorando. Todos nós gritamos e corremos de volta para o acampamento. Devido ao medo, perdemos todo o senso de direção e não fazíamos idéia de onde estávamos. Chegamos ao barranco que levava ao rio. Havia uma pequena figura negra bloqueando nosso caminho. Nossa única saída era descer pelo barranco. Nathaniel, Kyle e eu começamos a descer pela lateral da ravina e notamos outra figura, mas era um dos nossos. Eu apontei minha lanterna para baixo e lá estava Brandon, jazendo morto, com sua cabeça esmagada e sangue por todo lado. Ele deve ter tropeçado em alguma raiz e caiu pelo barranco. Mas nós tínhamos que continuar correndo.


Já tínhamos descido metade do caminho. Podíamos sentir o suor escorrendo nos olhos como água do mar. Lá estava ele de novo, a figura de um garoto parado no pé da ravina, nos esperando para "brincar" com ele. Eu disse a todos para continuar correndo. Eu olhei para trás e Nathaniel não estava lá. Desapareceu completamente. Kyle e eu vimos à nossa esquerda as escadas que levavam aos fundos do acampamento. Quando chegamos às escadas e estávamos quase no topo, podíamos ouvir uma criança dizendo "nós podemos brincar com pedras!". Nós não paramos para olhar para trás. Quando chegamos, todos os líderes estavam acordados. Duas outras cabanas haviam saído para "investigar" o que estava ocorrendo na floresta.Ambas estavam desaparecidas. Kyle finalmente falou. Ele não tinha dito nada a noite inteira, até agora.


"Eu o vi, o garoto só queria brincar com a gente."


Anos se passaram desde aquele encontro. Kyle foi mandado para um hospital psiquiátrico devido ao sério trauma. Jake e Brad foram encontrados enterrados sob a capela depois que a demoliram. Seus corpos foram cortados. As mãos foram decepadas e colocadas em um pequeno baú perto deles. Mas quanto às crianças das outras três cabanas, ninguém jamais descobriu o que aconteceu com eles ou pra onde foram. Talvez eles simplesmente não dessem a mínima.

Meu canal no youtube: https://www.youtube.com/user/Lereohome

Original: http://creepypasta.wikia.com/wiki/Why_I_Don%27t_Go_to_Camp_Anymore

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória