FANDOM


A alguns séculos atras as pessoas eram extremamente religiosas a ponto de entregar seus primogênitos achando que teriam uma vida fértil,e no mesmo nível estava o medo de coisas...misticas.

Um casal de camponeses trabalhavam para alguns nobres na região da Inglaterra,eles eram muito feliz mesmo sendo explorados e vivendo de uma maneira medíocre,os outros camponês que moravam próximo a sua casa não entendiam como eles conseguiam ser alegres vivendo na miséria como eles. Eles eram jovens,naquela época era normal os pais morarem juntos com os filhos e irem passando a casa de geração em geração,mas diferente dos outros eles vivam sozinhos. Nada se sabia sobre esse casal,eles viviam quase encostados no muro que limitava o Feudo daqueles nobres,não se sabia o nome de nenhum deles e muito menos da onde vieram,mais algo era certo,nem sempre viveram ali. Suas vidas estavam seguindo como o planejado e estavam unidos como nunca e para selar essa união a mulher ficou gravida. Ter um filho naquelas condições,com a vida que tinham não era nada bom,alimentar 2 bocas era muito difícil,alimentar 3 poderia se impossível,mais esse casal era muito feliz,com certeza iriam ficar ainda mais felizes com um nenezinho certo? ERRADO. Algo de errado aconteceu com a vinda dessa criança,aos 5 meses quando a barriga já estava bem grande dava pra ouvir gritos de discussão vindo da casa,que mesmo sendo afastada era facilmente ouvido pelos camponeses. 8 meses e as brigas não cessaram,havia menos briga mas eles já nem se olhavam nos olhos,em quanto o homem trabalhava durante o dia,a mulher cuidava da casa durante a tarde,de noite ele voltava para jantar,o homem tinha medo de comer e sempre cheirava bem a comida antes,já a mulher temia que o homem usa-se a enxada para arrancar-lhe a cabeça,nesse ponto não poderia chamar isso de casamento e sim de guerra fria. 9 meses e então a menina nasceu,uma menina linda de cabelos loiros e olhos cor de mel chamada Hecate.Passam-se 17 anos,aquela linda criança se tornara um linda mulher,com sua mãe muito fraca ela começou a cuidar da casa,e também era sua unica distração por não poder sair de casa,mesmo assim era uma menina muito feliz,vivia sorridente,cantarolando,mesmo com as brigas dos pais eles a amavam,sempre deram carinho a ela,mais tinha algo que ela nunca entendeu e que eles apenas fingiam não ouvir sempre que ela perguntava,-NUNCA CORTE O CABELO-eles a deixavam pentear e cortar as pontas,mais de maneira alguma corta-lo.

A vida continuava simples e ainda mais precária por agora serem 3 bocas,mas eles viveriam felizes se não fosse as eternas brigas dos pais,um dia os pais chegaram em um níveo da discussão em o pai quis realmente matar a mãe por achar que ela tinha jogado veneno no tempero da comida da filha,o homem velho mais grande segura firme com suas mãos calejadas a enxada e partia pra cima da mulher agora corcunda e cansada,a filha então corre e segura os braços do pai gritando para ele parar,que ela teria usado um novo tempero e por isso tinha um cheiro diferente,mesmo o homem sendo velho era muito forte por anos de trabalho,começou ele então a empurrar o braço abaixando a enxada lentamente,percebendo que não iria conseguir sava-la empurrou a mãe com força e nesse empurrão caiu pra traz sendo ferida pela enxada no ombro,o pai então ficou irado,mais não com a filha e sim com sua mulher,com a filha caída no chão sangrando ele partiu pra cima da mãe que tinha um feição de aceitação,o pai levantou a enxada e proferiu as seguintes palavras,-Esta feito o 2º passo-ele desce em um movimento veloz a enxada na cabeça de sua mulher,em fração de segundos sua cabeça foi dividida em dois,sangue e miolos espalhados por todas casa e mesmo assim ela parecia manter o ar de aceitação. A filha então arregala os olhos e entrar em choque durante alguns segundos,seu corpo todo parecia formigar como se vários insetos passeassem sobre seu corpo,dentro de um segundo a menina levantou aguentando toda aquela dor,tropeçou em seu próprio pé em quanto levantava,se estabilizou em pé e se pós a correr,e iria muito longe se não fosse seu pai agarrar seu braço,ele parecia ter se teletransportado para conseguir tal feito,em quanto segura o braço da mesma ele dizia com a voz mais tranquila,-Não...corte suas lindas madeixas loiras,ele ama te ver assim-a menina ainda estava assustada mas no momento em que seu pai a soltou ela correu como o vento atravessando a porta da frente. A menina nunca tinha saído de casa,estava a noite e a lua brilhava poderosa nos céus,ela respirou fundou sentindo o cheiro das rosas entrando em seus pulmões,por um instante ela queria poder deitar ali e ficar sentindo aquela sensação boa por tempo indeterminado mas não teve tempo pois logo lembrou de seu pai,voltou a correr procurando ajuda até achar um grupo de guardas montados nos cavalos,juntou as ultimas forças que tinha para chamar a atenção desses guardas,ele vieram rapidamente até ela gritando,-PORQUE ESTA FORA DE CASA DEPOIS DO TOQUE DE RECOLHER?-ao nível que os guardas chegavam perto eles começaram a perceber seu vestido coberto de sangue,se seu ombro branco marcado com sardas aberto como uma fenda,a menina desmaia então por perder tanto sangue

Entre pesadelos com seus pais e a perguntava que sempre fazia sobre seus cabelos ela acordou,seu olhar estava turvo,tinha muitas luzes e cores aonde ela estava,a cama era macia,diferente do colchão fino no chão em que ela era acostumada a dormir,sentia cheiro de frutas frescas e rosas ,ao fazer força para se levantar uma mão pequena em gentil pousou em seu peito-Fique deitada jovem-era uma mulher linda de cabelos castanhos e enrolados,branca e dentes mais brancos ainda-Sou Luna-a menina nunca tinha visto um nobre mais era fácil imaginar como eles eram,e era fácil reconhecer um-Você estava muito ferida,não podia deixar você morrer no lombo daquele cavalo levada por aqueles guardas,eu vou cuidar de você-Luna disse sorridente. A menina se sentiu melhor,mais veio a sua cabeça os seus pais,pensou em falar,puxou ar pros pulmões criando coragem mais logo Luna a interrompeu-Eu sei,seus pais não é? Os dois estão...-ela engasga-...mortos-ela finaliza se levantando e sorrindo novamente-Venha,vou lhe apresentar ao meu marido-.

A vida dela tinha mudado,a menina agora estava realmente feliz,o casal de nobres acolheram-la,lhe deram carinho e a fizeram se sentir em casa,ela tinha crescido,se tornado ainda mais linda e com os cabelos ainda grandes,seus pais adotivos não gostavam muito disso,eles diziam que aquela superstição era boba e que ela ficaria mais bonita com o cabelo mais curto,ela se esquivou dais investidas para cortar o cabelo,mais em seu aniversario de 24 ela cedeu,estava tão feliz que esqueceu do que os pais de sangue falavam e cortou o cabelo pela metade,continuava grande e realmente ela tinha ficado ainda mais bonita,mais bem,promessas não podem ser quebradas...

Se passaram dias,meses,anos,e estranhamente o cabelo dela não crescia,ele sairá de um tom loiro claro para um castanho escuro quase preto,seus olhos pareciam perder o brilho. A menina estava triste e cansada nos últimos dias,se mantinha quieta e quando falava era uma voz triste e vazia com respostas vagas. Durante uma madrugada chuvosa regada de trovões e relâmpagos ela acorda assustada,olha para os lados e sua visão é turva pela noite e só é iluminado levemente pela lua e os relâmpagos que cortavam o céu negro,tinha dificuldades para respirar,estava agoniada quando ouviu uma voz no meio da escuridão,-3º e 4º passos feitos-era Luna,sim era ela,a menina então lembro da voz do seu pai de sangue falando sobre o 2º passo,ela começa a se debater na cama,suas mãos pequenas agarram a fronha como se estivesse sentindo uma dor tremenda,ela não conseguia se mexer,fazia força pra frente mais era empurrada por algo para traz,os relâmpagos já não apareciam mais,apenas os fortes trovões,uma voz cortou a sinfonia entre os gritos de agonia e os trovões,a voz era suave e rouca,falava lentamente como se estive-se cansado-Eu gostava tanto do seu cabelo,era tão lindo e sedoso-passos são ouvidos,a menina agora só conseguia soltar leves grunhidos-Eu os admirava de madrugada,eu os cheirava,o cheiro era tão bom-Uma fungada perto do pescoço da menina faz com que ela tente pular mais é inútil-Eu só queria que você não quebrasse a promessa,o primeiro passo,porque ninguém consegue manter a DROGA DA PROMESSA?-a voz agora e ainda mais grossa e alta,uma leve inspiração seguida de um respirar profundo-Agora é questão de tempo até você vir pra mim,você ira dormir mais não como antes,isso me entristece,creio que não nascera mais nenhuma mulher tão linda minha bela Hecate-

Depois daquele dia a menina ficou estranha,seus olhos eram vazios e assustavam as pessoas que trabalhavam no castelo,até seu pai adotivo tinha medo dela,a unica pessoa que ela agia diferente era com Luna,a menina parecia ter medo dela. Com o tempo seu cabelo caiu,a ponto de ficar careca,andou corcunda e tossia sangue,mas não se sabe se ela morreu ou como morreu pois ela simplesmente desapareceu

O pai adotivo procurando respostas sobre oque tinha acontecido soube que alguns meses antes do nascimento de Hecate uma mulher estranha,muito branca e vestida toda de preto com os cabelos castanhos e encaracolados entrara na casa,até aquele momento ninguém além do casal tinha entrado na casa,o homem morreu deixando um carta que concluirá que aquela mulher era uma bruxa,como ele concluiu isso?Bem fácil quando a bruxa esta logo ao seu lado?Como eu sei disso,simples,até hoje eu amo Hecate,e ela esta aqui ao meu lado,mais ela sempre dorme,mais o cheiro de seus cabelos já não era o mesmo. E os seus,sera que são tão lindos?

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória