FANDOM


Você estava diferente no meu sonho. Você saiu de casa, tossindo um pouco, o cabelo um pouco raspado, porém não evitou trocar um sorriso comigo, peguntei se estaria doente, então respondeu-me "vou fazer apenas uma consulta" num tom mais gentil. Logo após apertou a minha mão timidamente.

Por que você não pode se comportar igual ao meu sonho? Por que você me odeia tanto? Geralmente me evita quando está com "seus" amigos. Será que não entende que quero o seu bem? Será que não entende que eles te arrastarão para o inferno?

Hoje te vi levando o lixo pra fora, não estava mais perseguindo você como antigamente, apenas fui comprar pão. Você não me viu, mas eu vi você. Eu sempre te vejo! E como isso é engraçado, já que você disse que NUNCA ficaria comigo, idiota! Não sabe que sou a melhor pra sua vidinha patética de merda? Deveria me agradecer!

Hum, você esta com essa menininha patética? Que pena. Que pena pra você, aliás, não me culpe se ela não sabe se defender sozinha. Ah, não chore, tudo devia acontecer 'NATURALMENTE' , estava progamado em nosso DNA nossa própria eliminação do mundo, as pessoas deveriam se conformar com isso, assim como eu me conformei em sujar minha preciosa roupa com esse sangue ruim.

Tudo bem, eu te perdoo, porque amar é perdoar, por isso lamente pela morte daquela cadela, sabe, até que você fica bonito chorando, mais bonito do que sorrindo, você não se importa em me deixar te tornar lindo?

Tenho em mãos uma pequena dosagem que irá te fazer dormir um pouco, não se desespere, nem vai sentir a agulha penetrando na pele. Oi? Eu perturbo você? Eu sou louca?!

Claro meu amado, eu amo você, acha mesmo quem alguém em plena faculdade mental iria te amar? Você é um lixo, quero dizer, meu lixo. O local está bem preparado, uma garagem bem longe dos olhares alheios, você pode gemer o quão alto quiser!

Deito-te no chão, porém, não aguento esperar, eu chupo seu pescoço, esse maravilhoso pescoço de carne, que estava tão frágil entre meus lábios, minha sucção é tão forte que penso simplesmente que arrancaria essa  pele amarela. E lá está você, todo chupado nesse colchão que trouxe, eu lavei-o só pra você, já que você é a única sujeira que tenho de me importar.

Seus olhos se mexem, agora sim irei me divertir, arranco sua calça, já desperto, grita na minha direção, isso grite, grite como nunca, até estourar internamente seus pulmões, cordas vocais e diafragma, ninguém pode te salvar, ho ho ho!

Onde está aquela gentileza que só me dava nos meus sonhos? Por que você não pode ser assim? Mesmo eu te lambendo por inteiro, vejo-o grunhir de nojo. Ah, sim. Falta pouco pra você chorar. Você chora porque é fraco. Faça como eu, sorria com prazer!

Você está fraco demais pra se mexer, pego na sua cintura e começo a subir em cima de você, enquanto o forçava a me penetrar, com força e numa posição que lhe proporcionava dor, ho, chore, chore, faça-me sentir esse orgasmo sádico!

Está doendo? Em mim também, eu dei-lhe o coração e sabe o que fez, devorou-o e deixou o excremento.na porta da minha casa, sim, eu tenho meu lado poético. Agora vamos terminar, por favor, está ficando maçante.

Sai de cima de você, como você estava dolorido e gritando, parecia até espumar de raiva, enquanto seu esperma estava em toda sua virilha. Eu não quero sua semente. Não posso deixar um único rastro de você no mundo. 

Retiro delicadamente um pequeno punhal debaixo do colchão, seus olhos ficam contraídos, gritou mais alto. Sim! Agora diga que me ama! Sim você disse, mas está chorando?! Não, não é emoção, é medo... é medo?

Tem medo de mim? No meu sonho você não tem medo de mim, eu tenho medo de você. Medo de amor que me retribui.

Você me assusta, e sabe o que os humanos fazem com as coisas que lhe ameaçam?

Matam!

Cravo a faca em seu peito, você dá um pulo, somos você e eu, entende, você não existe mais, agora só ficará nos meus sonhos, pois você - desde a primeira vez que te vi - era meu e sempre será meu! Ainda há vida, deixo a faca cravada, não estava muito funda, então posso divertir um pouco? Você nem fez objeção! Quem cala consente.

Começo a lamber aquele sangue quente que saía abundante dessa ferida aberta, minha saliva está entrando na sua carne exposta, enquanto você sente aquele liquido viscoso escoar pra dentro. Bem, tiro devagar o punhal, calma, isso será rápido, no fim só havia uma fina brecha no seu peito, mais aproximadamente no lado esquerdo.

Eu sempre quis tocar no seu coração. Como você estava muito fraco, seus olhos estavam se fechando, por favor, não perca a diversão, amor; Meu amor!

Lentamente ponho minha mão na fenda, você sempre disse que era minuscula, então, não se importe, já sentia o sangue, enquanto em tateava-o internamente, sinto algo pulsante, oh, seu miocárdio! Ele deve ser bonito! Minha mão o rodeia, mesmo pequena, não consegue por inteiro. Não, você não pode morrer ainda, você é meu! Aperto seu coração. Você dá seu ultimo e lancinante gemido de dor, enquanto eu apertava ainda mais, apos uma leve contração de seu corpo. Está morto.

Que pena. Bem, sobrou-me este corpo, eu ainda tenho tempo antes de apodrecer, sabe e eu nunca vou parar, porque você é MEU, e você será meu até a ultima partícula de seu corpo virar um excremento de algum verme faminto.

(Criada por CherryBell)

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória