FANDOM


Kanashibari é o termo japonês para a paralisia do sono, significa literalmente “atado ao metal”, um fenômeno no qual uma pessoa, ao cair no sono ou acordar, experimenta temporariamente uma incapacidade de se mover. Ela é freqüentemente associada com visões aterrorizantes, um pesadelo onde o mundo real e dos sonhos se misturam.


Histórias sobre Kamashibari são antigas e estão presentes em muitas culturas, e a maioria são atribuídas a uma força sobrenatural dominante que geralmente se apresenta sobre o corpo. O Kanashibari pode até mesmo ser causada por seres humanos, geralmente sacerdotes ou feiticeiros. Apesar de não ser realmente  fatal, esta é uma experiência aterrorizante para a vítima.



Kanashibari Origens:


O termo Kanashibari, que significa “amarrar com uma corda de ferro” é derivado da magia de Fudoh-Myohoh, um Deus budista. A ideia de ser amarrado vem da crença antiga de que os monges budistas vingativos, podiam usar a magia para paralisar pessoas como se estivessem presos em uma corda de metal.


No folclore Oriental, a forma mais comum de kanashibari vem do  sentido de posse. Quando uma pessoa está possuída por um Inugami, kitsune, tanuki, ou outros tipos de tsukimonos, um dos possíveis sintomas que podem  desenvolver é a imobilidade ou paralisia do sono. Este tipo de posse pode às vezes ser superado se um shugenja (uma espécie de sacerdote) recitar sutras budistas para expulsar o espírito do Yokai  que a possui. Uma vez que, expulso o espírito, o kana-shibari desaparece, e tudo pode voltar ao normal.


Kanashibari Lendas:


Existe uma série de lendas sobre Kanashibari, e cada um aponta para uma causa diferente. O conto de Kiyohime apresenta uma passagem onde a princesa, com ciúmes, está correndo atrás do seu amante, Anchin. Tentando escapar de seus avanços, Anchin pede ao sacerdote de um santuário Kumano para ajuda-lo. O sacerdote prende Kiyohime em uma armadilha kana-shibari, dando tempo a Anchin para fugir.


O fenômeno Kanashibari, ainda, pode ser provocado por fantasmas. Um conto famoso vem de uma história de fantasmas popular em Iwate. Há muitas variações, mas geralmente, no  meio da noite, uma pessoa acorda com um sentido ameaçador, puro pressentimento de pavor. Percebe que  não pode se mover, mesmo que  esteja acordada. Ela  sente como se garras poderosas a estivessem segurando com força, mantendo-a imóvel. De repente, uma força invisível a puxa pelas pernas e arrasta-a para fora de sua cama, geralmente na direção de uma janela aberta, um rio, ou em algum outro lugar perigoso! Depois de uma luta desesperada, a pessoa finalmente se desprende da paralisia do sono, e vê o fantasma de uma mulher de meia idade subindo para o teto.


Outros tipos de Yokais (espíritos) podem infligir o Kanashibari. Conta-se que Makura-gaeshi, uma espécie de Zashiki-warashi (criança fantasma do quarto), da prefeitura de Ishikawa, assombra quartos à noite, lançando-se  sobre os travesseiros de dormir dos hóspedes. Vítimas às vezes acordam no meio da noite, sentindo um peso esmagador em seu peito, e encontram o fantasma de uma criança pequena sentada sobre eles. Isso pode ocorrer de forma esporádica, ou mesmo todas as noites, dependendo do estado de espírito do Makura-gaeshi.



História:


O fenômeno da paralisia do sono pode ser reconhecido em relatórios, em diferentes culturas e ao longo da história.


Do ponto de vista fisiológico, ela é diretamente relacionada à paralisia que ocorre como uma parte natural do sono REM, a qual é conhecida como atonia REM. A paralisia do sono ocorre quando o cérebro acorda de um estado REM, mas a paralisia corporal persiste. Isto deixa a pessoa temporariamente incapaz de se mover.


Na história da medicina ocidental, a paralisia do sono tem sido documentado há pelo menos 300 anos. Kompanje, em 2008 descreve um relatório de 1664, o caso do médico holandês, Van Isbrand Diemerbroeck, intitulado “Of the Night-mare”. Ele descreve os sintomas de uma paciente:


“… No tempo da noite, quando ela estava compondo-se para dormir, às vezes ela acreditava que o diabo estava em cima dela e segurou-a, por vezes, ela foi sufocada por um grande cão ou ladrão deitada sobre o peito, de modo que ela não poderia falar ou respirar e quando ela se esforçou para jogar fora o fardo, ela não foi capaz de mexer os seus membros. “ - Citação literal de Van Diemerbroeck.



Talvez o exemplo histórico mais famoso de paralisia do sono encontra-se expressa na arte, uma pintura de 1781 de Henry Fuseli, intitulada “The Nightmare”. Esta pintura apresenta muitos dos sintomas clássicos da paralisia do sono. A figura central é retratada deitada de costas com um demônio sentado em seu peito, e criaturas estranhas ao fundo.


Kanashibari: O Folclore no Mundo

Ataques de paralisia do sono e os atacantes noturnos são parte integrante do folclore, está enraizada na cultura de muitos países. A crença no fenômeno é antiga, gerou muitas lendas que, ainda hoje, assombram o imaginário  de muitos povos ao redor do Mundo.





No folclore escandinavo, a paralisia do sono é causada por uma égua, uma criatura sobrenatural relacionada com íncubos e súcubos. A égua é uma mulher maldita, e seu corpo amaldiçoado é levado misteriosamente durante o sono e sem que ela percebesse. Neste estado, ela visita moradores a se senta em seu peito enquanto eles estão dormindo, fazendo-os experimentar os mais terríveis pesadelos.


Em muitas partes do sul dos Estados Unidos, o fenômeno é conhecido como sopro de bruxa. Durante os julgamentos das bruxas de Salem, várias pessoas relataram ataques noturnos de vários supostos feiticeiros, incluindo Bridget Bishop, que pode ter sido causada por paralisia do sono.


No México, acredita-se que isso é causado pelo espírito de uma pessoa morta. Este fantasma se deita sobre o corpo na cama, deixando-o incapaz de se mover. As pessoas se referem a isso como “subirse el muerto” (pessoa morta sobre você).


Na Tailândia acredita-se que o desconforto da paralisia do sono é causado por um fantasma do folclore tailandês conhecido como Phi Am ( Thai : ผีอำ ). Algumas pessoas afirmam que esse espírito pode até causar hematomas. Histórias sobre este espírito são comuns em quadrinhos tailandeses.


Na cultura vietnamita, a paralisia do sono é conhecida como “ma de”, que significa “segurado por um fantasma”. Muitas pessoas nesta cultura acreditam que fantasmas entram no corpo das pessoas causando a paralisia.


Na China, paralisia do sono é conhecida como “鬼压身” (pinyin: guǐ yā shēn) ou “鬼压床” (pinyin: guǐ yā chuáng), o que pode ser traduzido literalmente como “corpo pressionado por um fantasma” ou “cama pressionada por um fantasma”.


No Brasil, existe uma lenda sobre um ser mitológico chamado de pisadeira “ela que pisa”. segundo a qual, durante o sono, uma mulher lendária pisa sobre o peito da pessoa que está dormindo, enquanto esta vê tudo e não pode fazer nada.


A paralisia do sono, segundo a Medicina, não apresenta nenhum risco sério para a saúde daqueles que a experimentam, apesar do fato de que ela pode ser uma experiência inesquecível e intensamente aterrorizante.



Fonte - www.cacadoresdelendas.com.br

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória