FANDOM


Eu era apenas um jovem estudante da universidade, tinha uma vida meio comum e passava meu tempo vivia jogando vídeo game. Era noite 26 de Janeiro, havia jantado com minha família e fui dormir cedo porque havia jogado vídeo game demais durante a noite anterior e passei o dia todo com sono. Durante o sono tive um sonho, nele eu estava em uma rua da cidade onde morava e quando olhei para trás um homem alto encapuzado estava correndo atrás de mim, ele estava com um facão na mão e um revolver na outra, resolvi correr para não ser morto pelo homem e depois de correr bastante olhei novamente para trás novamente e percebi que duas figuras menores encapuzadas e também haviam se juntado ao homem, cada um com uma faca. Corri desesperadamente mais eles eram mais rápidos e estavam a metros de me alcançar. Quando achei que estava prestes a morrer eu entrei em uma porta aberta que estava perto. Eles tentaram me seguir mais não conseguiram entrar na porta, estavam batendo no nada na minha frente enquanto tentava recuperar o fôlego. Cheguei mais perto achando estranho eles não conseguirem entrar e percebi que não havia porta ali, eu havia entrado em um espelho porque conseguia ver a minha imagem meio que refletida suavemente no que estava fora. Aproximei-me um pouco mais do espelho no qual eu havia entrado mais logo depois o espelho ficou todo negro e não conseguia ver mais nada do lado de fora.

Quando tentei olhar ao redor tudo estava escuro e a única coisa que tinha que não era escuro era eu mesmo, estava com medo daquele lugar e vi uma pequena luz vinda de um lado, tentei me aproximar dela e pareceu que a luz havia se transformado em uma porta, se isso fosse uma porta dessa vez. Corri para ela o mais rápido que podia sentir toda a escuridão atrás de mim me seguir e quando abri a porta pude ver o meu quarto, olhei para trás antes de sair e vi um grande vulto escuro emergir daquela escuridão que parecia me seguir. O vulto meio que tinha o formato de um homem alguns centímetros maior que eu e ele era feito de sombras as sombras que se mexiam em torno dele, pude ver algo escrito meio que escrito nele.

K', a primeira letra de meu nome estava escrito em sangue.Quando tentei olhar a face daquela coisa escura, fiquei paralisado, pude ver dois olhos completamente negros por fora e com as pupilas amarelas ele deu um passo e meio que suas roupas mudaram, agora estavam iguais as minhas, quando e quando olhei sua face novamente ele tinha meu rosto e toda a minha aparência o que apenas podia me distinguir dele era os seus olhos negros com amarelo. Neste momento eu me toquei e tentei fugir para fora da porta mais quando me virei ele estava na frente dela impedindo minha passagem. Aquele que tinha o meu rosto levantou seu braço que era igual ao meu e o seu braço se tornou sombras e depois cresceu igual a uma lâmina negra e antes que eu pudesse fazer qualquer coisa ele enfiou a lâmina no meu coração, senti meu corpo ser atravessado por ela e uma dor insuportável me penetrar.

Ele disse olhou sorrindo para mim com o meu rosto e neste momento eu acordei assustado com o que houve. Procurei imediatamente no meu peito onde a lâmina perfurou e não havia nada mais ainda sentia a lâmina em meu peito. Resolvi levantar da cama e comer algo, isto era madrugada mais quando liguei a lâmpada do meu quarto eu me olhei no espelho pude ver meus olhos negros igual ao do monstro que me matou no sonhos mais a diferença era que ao invés de amarelos eu tinha azul no lugar, pisquei e quando olhei novamente no espelho meus olhos voltaram ao normal, não estavam mais negros e eram castanhos como sempre. Sai de perto do espelho e pude sentir que alguém me observava, não sabia de onde mais quem me observava parecia estar atrás de mim. Quanto mais me virava mais não parecia consegui encontrar nada e continuava a sentir que alguém atrás de mim me observava., acho que estava ficando louco mais resolvi tomar um remédio e deixar isso pra lá, talvez aquele pesadelo me deixou assustado demais e estava começando a ter alucinações.

Era outro dia na universidade, amanhã era sábado e estava morto de sono porque não consegui dormir depois de tudo que aconteceu e resolvi deixar aquela sensação de ser observado de lado porque tinha que estudar. Durante o intervalo fui me encontrar com os meus colegas de sala no refeitório depois de ir ao banheiro e quando cheguei neles os ouvi conversando sobre três assassinos de uma gangue que matava e torturava pessoas em várias cidades foram achados mortos na noite anterior, cheguei mais perto me recordando do meu pesadelo e pedi por mais detalhes. Eles disseram que os corpos dos assassinos foram encontrados com os corpos mutilados com marcas de cortes por um tipo de lâmina que eles não sabiam distinguir o que era, foi necessária uma autopsia dos corpos para descobrir a identidade deles devido ao estado de carnificina em que se encontravam. Do lado dos corpos os policias encontraram algo escrito com o sangue das vitimas, um dos meus colegas tinha uma imagem e mostrou desenhado em sangue a mesma coisa que eu vi naquele monstro no meu pesadelo. Um K' escrito em sangue.

Eu levantei assustado e quase derrubei a mesa em que estávamos. Meus colegas perguntaram se eu estava bem e eu respondi que sim, apenas tinha me assustado com tamanha barbaridade. O resto do dia de aulas foi normal e agora eu estava indo para casa porque meu aniversário era amanhã, apenas estava meio que com receio pensando se aquele sonho havia sido real. Mais mesmo que fosse real não era possível porque eu ainda estava vivo então descarei essa ideia e resolvi achar que foi meio que coincidência o que houve no meu sonho e o caso ocorrido e resolvi deixar isso de lado junto com a presença que eu ainda sentia.

Perdido em pensamentos não notei a figura que se aproximava de mim, só reparei quando ele já estava perto, um homem encapuzado me seguia e eu quando percebi tentei correr e ele correu atrás de mim do mesmo jeito até que ao entrar em um local a minha direita eu me deparei com um beco sem saída. Virei-me e encostado ao muro vi o homem se aproximar mais calmamente me vendo encurralado e tirar um facão de seu casaco. Quando ele se aproximou de mim com o facão em mãos eu pude sentir aquela sensação de ser observado aumentar como se quisesse se expandir e se libertar. O homem recuou um pouco, parecia que estava com medo de algo atrás de mim quando olhei de lado a parede estava negra, coberta por uma sombra que se expandia ao meu redor como uma mancha de sangue negra. Estava paralisado igual ao homem a minha frente, a sombra tomou volta tomou forma de varias lâminas pontudas

As lâminas se direcionaram para o homem a minha frente que tentou correr ao se tocar do acontecido, mas as lâminas foram mais rápidas que ele e retalharam o seu corpo em diversas partes. Eu corri com medo de tudo aquilo o mais rápido que podia passando pelo homem que morreu na hora com o que aconteceu. Quando estava bem distante eu relaxei um pouco e reparei novamente aquela sensação, parecia estar me seguindo para onde quer que eu fosse. Eu sabia, depois daquilo tudo que aconteceu não era coincidência, eu podia acabar morto e agora sabia disso, olhei para minha sombra e senti. Aquele que estava me observando vinha dela. Dois olhos com pupilas amarelas apareceram dela e eu entendi ali. Não tinha como eu fugir da minha própria sombra, se "aquilo" resolvesse me matar eu não tinha como revidar. Eu parei de tentar correr e estava indo para casa. Mais quando cheguei à frente de casa pensei. Se eu entrasse em casa poderia ser que "aquilo" acabasse matando eles então me contive, mais devido ao pânico em que me encontrava não percebi o que acontecia ao meu redor até ser tarde demais.

Acordei com a cabeça coberta por um pano, com braços e pernas amarrados a cadeira em que me encontrava. Estava cansado, não sabia o por quê mais não conseguia mexer minha cabeça. Depois de algum tempo ouvi uma porta bater, algumas pessoas entraram no local onde eu estava e retiraram o pano da minha cabeça. Na ofuscante luz da lâmpada em cima de mim pude ver que três homens estavam ao meu redor.

Eles diziam que eu iria pagar por ter matado os companheiros deles e enquanto me diziam que eu iria ser devidamente "tratado" o da esquerda mostrava um alicate grande, o do meio que usava um sobretudo negro tinha uma faca consigo e o da direita um martelo. Me desesperei, mas não havia nada que eu pudesse fazer, eu estava a mercê deles e eles começaram a me torturar,esmagaram meus dedos com o martelo, eu gritava de dor com o que acontecia a cada um deles, arrancaram meus dedos de cada mão que já estavam esmagados um por um bem devagar para que eu sofresse ainda mais com isso, fizeram o mesmo com os dos pés e eu estava preparado para morrer, meus joelhos e minhas mãos foram martelados, meu corpo estava cheio de cortes, muitos que eram profundos. Não ligava mais para a dor, estava a mercê do sofrimento que era tanto que eu apenas desejava morrer rapidamente o que não me era permitido.

Depois do que parecia uma eternidade de sofrimento eles se cansaram disso, depois que eu já estava sem dedos e com as mãos e os joelhos estourados e ainda cortes de faca por todo o corpo a beira da morte eles resolveram finalmente me matar, era tudo que eu desejava mais quando pensei isso percebi que não era verdade. Havia algo que eu queria mais e "aquilo" estava agora em minha cabeça me dizendo isso e eu sabia que era verdade, sabia que ele estava certo. Estava em transe, não conseguia levantar a cabeça nem chorar nem mais nada, nem meus gemidos de dor podiam ser ouvidos. Havia somente eu e minha mente ali, a sombra tomou forma novamente, aquele vulto de costas estava a minha frente, agora eu entendia aquele K'.

Aquele K' escrito em sangue naquela escuridão que tomou a minha aparência significava Kill, me dizia que eu tinha que matar. Era isso, a coisa que eu mais queria naquele momento não era morrer e sim matar, queria matá-los por terem feito aquelas atrocidade comigo, queria matar a todos que ousassem entrar no meu caminho e quando olhei novamente aquele vulto tinha de novo a minha aparência e estava sorrindo. A sombra estava sorrindo com o meu rosto e eu estava sério, parecia ser isso que não diferenciava, além daqueles olhos negros com amarelo, ele queria que eu o aceitasse, eu tinha que aceitar e agora eu sabia disso, eu tinha que matá-los, eu aceitei mais também não iria me deixar ser dominado. Tinha que matar a todos que quisesse!

Matar a todos que ousassem entrar no meu caminho. Punir a todos e matá-los! Quando olhei novamente, a escuridão que parecia o meu reflexo havia sumido da minha frente e agora estava novamente de frente aquele espelho negro. O espelho deixou de ser negro e se tornou meio que um espelho normal em que agora eu podia ver o meu reflexo nele, meus olhos que anteriormente eram brancos com castanho estavam de novo negros com azul mais a imagem estava oscilando e o azul se tornava amarelo e vice e versa. O azul mostrava o meu antigo eu, o meu lado calmo e sereno que só fazia o que realmente era necessário, o amarelo mostrava o meu novo eu, o meu lado insano e louco por mortes. Percebi aquilo depois de me olhar no espelho, aqueles dois eram “eu”, duas partes de mim.

Os reflexos ficavam oscilando no espelho a minha frente e eu via as duas imagens de minha face um lado mal e outro completamente louco, mais naquele momento algo era mais importante que isso e meus dois lados sabiam disso. As imagens pararam de oscilar e mostrou uma mistura dos dois reflexos, olhos negros com azul e amarelo unidos no centro e tudo porque neste momento todo o meu ser queria uma coisa. K', eu, tinha de matar todos eles!

K ' Three Dark Faces

O homem de sobretudo negro que estava com a faca aproximou-se do jovem e cansado já da tortura ele resolveu matá-lo de uma vez e enfiou a faca no seu coração. O jovem tremeu um pouco e levantou seu rosto e o assassino recuou com susto ao olhar para aqueles olhos com três cores, deixando a faca presa no peito dele, o jovem olhou para o estado do meu corpo e as sombras envolveram seus membros e saiam do seu corpo e começaram a regenerar envolver seus membros arrancados e recolocá-los no seu corpo, alguns instantes depois o seu corpo parecia nem ter sido torturado com exceção da faca em seu peito, os três homens que se encontravam ali olharam ruborizados a face com intenção assassina do jovem e eles entenderam  que ele queria matá-los!

Depois de seus membros regenerados e seu corpo quase todo de volta ele arrancou as amarras que o prendiam e levantou da cadeira, pegou a faca em seu peito e enfiou-a ainda mais até ela atravessá-lo por completo e cair pelas suas costas. Os homens estavam aterrorizados com o que viam mais isso era o mínimo que eles precisavam se preocupar porque uma sombra apareceu atrás dele.

A sombra aumentou de tamanho e agora ela saia do casaco com uma face rindo sadicamente, o homem que estava com a faca correu e quando os outros dois iam tentar fazer o mesmo a sombra do jovem abriu sua boca e os devorou. O homem que fugiu da casa em que se encontrava antes estava correndo desesperadamente pelas ruas da cidade na madrugada do dia 28 de Janeiro. Ele correu por vários metros entre aquelas ruas e quando não aguentou mais correr e parou para recuperar o fôlego mais quando olhou de lado o contorno do jovem apareceu entre as sombras de um poste a sua frente.

O assassino recuou com medo mais quando fez isso tropeçou em algo quando olhou o que era viu os corpos dos seus dois amigos mutilados no chão ao lado dele e uma poça de sangue enorme se formando. O jovem que saiu da sombra do poste se aproximou dele e suas mãos O jovem mutilou o corpo do homem assim como o dos outros e escreveu K' com o sangue deste último no chão. O homem estava tremendo de pavor por ver seus companheiros naquele estado e pode ver algo mais, o braço esquerdo do jovem foi envolvido em sombras e começou a esticar até se tornar uma lâmina negra , o homem tentou correr na direção contrária a que o jovem se encontrava mais quando virou sentiu algo atravessar seu peito.

O jovem estava na sua frente agora e atravessava seu braço lâmina perfurando o homem no coração com ela, o homem vomitou sangue e antes de morrer teve sua cabeça decepada pelo outro braço do jovem que também havia se tornado uma lâmina negra, o jovem deixou o homem cair no chão morto e cheio de sangue. Quando ele olhou para a carnificina que fez o amarelo de seus olhos se tornou completamente azul e a na sua sombra ele podia ver os olhos amarelos ameaçadores com aquele sorriso sádico pronto para matar qualquer um. O jovem fez com que seus braços voltassem ao normal e retirou o sobretudo do homem que acabara de morrer e com ele no chão desenhou nas costas dele com sangue do homem a mesma coisa que se encontrava no chão do seu lado K’.

Pegou o sobretudo com o K’ em sangue, o vestiu e foi embora para casa quando chegou em casa e fez seus olhos voltarem ao normal um castanho claro, mas mesmo que ele estivesse calmo e em certas noites o a sua sombra  com olhos amarelos e sorriso ameaçado necessitava matar alguém e saia a procura de mais vitimas para devorar e mutilar. Mesmo que sua seu lado azul pudesse ser controlado ele também tinha o mesmo propósito e a mistura dos dois também era para ser temida.

Tudo isso começou no meu aniversário. 28 de Janeiro o dia em que me tornei um ser de três faces.

O que será dessas três faces?

Olhos azuis a justiça.      Olhos amarelos a loucura.           Olhos azuis com amarelo a penitência.

K' Dark Blue Eyes             K ' Dark Yellow Eyes                        K' Dark Blue Eyes Yellowish

K'.

Escrita por Kelvini Mykael.

kelvinimykael@gmail.com

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória