FANDOM


Parte 2 : [1]

Segunda feira, depois de tudo oque aconteceu ontem todos estão um pouco apreensivos aqui em casa, apesar de não terem tocado no assunto eu pude ver em seus olhos que estão tensos com oque ocorreu, e se eles já estão assim imagine eu que estou completamente perdido, não tenho ideia do que pode estar acontecendo mas uma coisa e certa, definitivamente isso não e normal.

Após me arrumar e tomar meu café da manha eu vou para a escola, ao passar pela porta minha mãe me pergunta:

Mãe: Filho tem certeza que vai ir de casaco? Esta quente.

Tom: Vou sim, ainda estou sentindo frio.

Mãe: Tudo bem filho, boa aula.

Após isso ela me da um beijo na testa e se retira, pela serenidade e calma dela eu pude perceber que ela estava preocupada comigo, todos estavam apesar de não quererem tocar no assunto, disso eu tinha certeza. Ao chegar na escola vejo que Anne esta sentada no banco sozinha e visivelmente perturbada, então resolvo me aproximar e digo:

Tom: Anne, esta tudo bem?

Anne: Tom, sobre ontem, me responda sinceramente, você bebeu ou usou algum tipo de droga?

Tom: Não, tudo oque eu disse eu realmente vi, eu não estava brincando e nem usei nenhum tipo de droga.

Anne: Oque exatamente aconteceu então?

Tom: Logo após você me dizer que tinha alguém atrás de mim o computador deu defeito, ficou em estática pura, e eu não consegui reinicia-lo, então enquanto ia chamar o meu pai para resolver isso saiu um som muito alto do computador, e eu apaguei, mas antes de apagar eu vi o Slender, era ele que estava atrás de mim.

Após essas palavras Anne fica com uma expressão de espanto e duvida então pergunta:

Anne: E sobre o Jimmy e o tal grupo na mata? Oque aconteceu?

Tom: Eu tive um sonho, premonição ou sei lá oque foi essa merda, e nele eu vi Jimmy e sua família serem assassinados, da exata maneira que ocorreu, e ontem eu tive o mesmo sonho, só que com um grupo de jovens na mata.

Anne: Meu Deus, foi o mesmo que aconteceu com o Tyler, Disse ela com um visível temor.

Tom: Tyler?

Anne: Tyler Wilson, o serial killer que matou varias pessoas, ele dizia que sonhava com um ser, e que ele era o responsável pelos assassinatos.

Tom: Meu Deus Anne, porque você não me disse isso antes? Ele podia ser inocente, e se foi o Slender que matou as pessoas? E obvio que iriam culpar ele, vivemos em uma sociedade estupida e arrogante. Temos que descobrir mais sobre isso, e provar que talvez ele fosse inocente.

Anne: Isso faz sentido, mas como vamos fazer isso? Ele esta morto, não há como descobrirmos mais sobre isso, a não ser....Tom, acho que eles tem um jornal que fala sobre ele na biblioteca.

Tom: Vamos lá então!

Ao chegar na biblioteca procuramos o tal jornal ate acha-lo, mas como estávamos em horário de aula não poderíamos ficar ali lendo, então pegamos o jornal e corremos para fora da escola. Sentamos em uma praça que ficava lá perto e começamos a ler. Após reunirmos bastante informação Anne me olhou e disse:

Anne: Tom, Aqui diz que o pai dele ainda mora na cidade, o nome dele e Antony Wilson e mora aqui perto, você acha que devemos ir lá para ver se conseguimos mais alguma informação?

Tom: Definitivamente isso não e uma boa ideia, mas e a única coisa que podemos fazer agora, então vamos lá.

Então nos levantamos e fomos em busca de mais informações. Ao chegarmos lá senti um frio na espinha, era uma casa antiga no meio do nada, mas como tínhamos chegado tão longe não dava para voltar atrás agora, então batemos na porta e fomos recepcionados por um idoso de aparência calma e desconfiada.

-Pois não, posso ajuda-los meus jovens?

Tom: Bom dia, estamos a procura de Antony Wilson.

Antony: Sou eu, em que posso ajuda-los?

Tom: Olá, meu nome e Tom, E essa e minha amiga Anne, sei que esse deve ser um assunto desagradável, mas estamos em busca de algumas informações sobre seu filho.

Antony: Desculpa, mas não quero falar sobre isso.

Tom: por favor, eu li em um jornal que ele dizia ser assombrado por um ser e que foi ele que matou as pessoas, eu acredito no seu filho, eu também tenho sido assombrado por um ser, por favor, preciso saber mais sobre isso antes que seja tarde.

Ele então me olha com um olhar de surpresa e receio e me diz:

Antony: Garoto não brinque com essas coisas, isso e serio.

Tom: Mas eu estou falando serio, você tem visto os noticiários? Viu sobre uma família que foi assassinada? Eu vi isso, em um sonho, eu previ que isso ia acontecer e eu sei que isso foi culpa deste maldito ser de terno que vem me assombrando, por favor, me ajude, eu estou desesperado.

Sua expressão antes de duvida agora se transforma em preocupação e surpresa então ele diz:

Antony: Entrem, sentem-se no sofá enquanto eu busco um café para podermos conversar.

Assim fizemos, e enquanto ele aprontava o café Anne e eu não podemos deixar de reparar na televisão em que passava no noticiário sobre um grupo de jovens encontrados mortos na mata.

Anne: Não pode ser, meu Deus.

Tom: Você ainda tem duvidas sobre minha sanidade? Pergunto em um tom irônico.

Antony então volta com o café, se senta e diz:

Antony: Então, você disse sobre um ser de terno? Estranho, era a mesma coisa que meu filho dizia, sempre que eu o ligava ele dizia sobre esse ser, que sonhava com ele, e o via matando pessoas, ele confiava apenas em mim para dizer essas coisas, eu já estava ficando preocupado com ele, mas quando foi dito que ele era tal assassino eu desacreditei de sua historia, e tal fato fez com que ele entrasse em depressão e se matasse na prisão.

Tom: Eu acredito no seu filho, eu tenho visto tal ser na floresta e nos meus sonhos, já sonhei com ele duas vezes e em ambas pessoas morreram logo após, eu sei que isso parece loucura mas e isso que esta acontecendo, esse ser esta matando as pessoas e eu sinto que sou o único que posso para-lo.

Antony: Você cita uma floresta, meu filho também morava perto de uma, onde fica essa floresta?

Tom: Na vila Aubrick, logo atrás da minha casa.

Antony: Você mora no numero 650? Na casa logo a frente da mata?

Tom: Sim, Por quê? Pergunto surpreso.

Antony: Meu Deus, era lá que meu filho morava, vila Aubrick numero 650.

Após isso eu olho para Anne surpreso e pergunto:

Tom: Por que você não me disse isso? Você mora perto de mim, não sabia disso?

Anne: não, eu me mudei para lá recentemente, disse ela visivelmente surpresa e assustada como eu.

Então perturbado e assustado eu pergunto a Antony:

Tom: O senhor tem mais alguma informação sobre isso?

Antony: Espere um segundo, tenho algo que pode ajuda-los.

Antony então se retira da sala e sobe as escadas, Anne que a essa altura já estava tão perplexa quanto eu me diz:

Anne: Tudo isso faz sentido agora, Tom você tem que sair daquela casa o mais rápido possível.

Tom: Eu não posso, meus pais nunca acreditariam em mim, e eu não posso deixar isso continuar acontecendo, precisamos parar esse monstro antes que mais pessoas morram, e eu sei que sou o único que posso fazer isso.

Antony então retorna com um livro em suas mãos, ele me entrega e diz:

 Antony: E um diário, meu filho fazia algumas anotações nele, os policias me entregaram quando ele se suicidou, eu nunca tive coragem de abri-lo, talvez tenha algo que possa ajuda-los.

Tom: Obrigado, bem, já tomamos seu tempo de mais, vamos embora agora, obrigado por ter acreditado em mim e pelo livro.

Antony: Espero que de tudo certo pra você, e obrigado por ter me feito acreditar no meu filho novamente, tome cuidado vocês dois.

Então eu e Anne vamos embora, e ao chegarmos na porta da casa dela ela me diz:

Anne: Oque faremos agora?

Tom: Eu irei ler esse diário e procurar uma maneira de acabar com isso antes que mais pessoas morram.

Anne: Por favor Tom, Tome cuidado, eu não quero perder você.

Após isso Anne se aproxima de mim e me beija. 

 Tom: Você não ira, vou dar um jeito nisso e em breve tudo vai voltar ao normal.

Anne: Tomara, bom agora eu vou entrar, preciso de uma boa desculpa para ter chegado tarde em casa, e você também, Disse ela com um tímido sorriso no rosto enquanto entrava em casa.

Ao chegar em casa fiquei o dia todo lendo o diário, meus pais ainda estavam preocupados comigo, mas ficaram tranquilos ao ver que eu estava bem, bom pelo menos e o que eles pensavam.  E assim passou a semana, na escola eu e Anne fingíamos que nada estava acontecendo, e ao chegar em casa eu ficava o dia todo lendo o diário, ate que no sábado cheguei a uma conclusão, mas para fazer oque eu queria eu precisaria de reforços, então liguei para Anne e pedi para ela reunir o grupo na praça para poder pedir ajuda a eles, Anne retrucou dizendo que eles não iriam acreditar na gente, mas eu tinha que tentar, não havia outra escolha.

Depois de encontrar a galera tive um grande trabalho para convencer eles de que nos não estávamos loucos, mas no fim eles viram que fazia sentido e acreditaram na gente ai que entrou a outra questão:

Jack: Ok, e uma historia e tanto, mas eu acredito em vocês, mas oque vamos fazer sobre isso? Somos cinco adolescentes e não um grupo de fuzileiros.

Tom: Eu sei oque fazer, no diário ele dizia que aparentemente o Slender morava na mata, então vamos lá amanhã e vamos invoca-lo para podermos mata-lo e acabar com essa merda.

Vincent: Invoca-lo? Como faremos isso?

Tom: Tem um tutorial no diário, isso não dará muito trabalho, mas assim que feito devemos matar ele o mais rápido possível, e em hipótese alguma poderemos sair da mata sem mata-lo, se não ele vira atrás de nos e matara a todos.

Jack: E como o mataremos?

Tom: E ai que vocês entram, Jack, seu pai e militar não e?

Jack: Sim, mas oque isso tem haver?

Tom: Ele tem alguma arma em casa?

Jack: Sim, Duas pistolas e um revolver, mas eu não posso pega-las, ele me mata.

Tom: Não temos escolha, você tem que pega-las, meu pai tem uma espingarda calibre 12, ele já me ensinou a atirar e eu sei onde ele esconde ela, você tem que pegar suas armas também, assim dão 4 armas, um de nós ira ficar desarmado mas vemos isso na hora.

Jack: Talvez não, tenho dois amigos que tem os pais militares também, acho que eles topariam vir com a gente e ainda traria mais umas 3 armas. Vai ser difícil convencer eles mas eu consigo.

Anne: Mas eu não sei atirar.

Mike: Nem eu.

Jack: Não tem problemas, nós ensinamos vocês, não e muito difícil.

Tom: Então esta decidido, amanhã pela tarde nós 5 mais os dois amigos do Jack nos encontramos na minha casa e partiremos para dentro da mata, minha família saiu hoje para a casa da minha avó e só volta amanhã a noite então não teremos problemas, tenham em mente que talvez isso não de certo e todos nos morreremos lá, mas temos que tentar ou mais pessoas inocentes irão morrer, ou talvez ate as pessoas que amamos poderão morrer, por isso que temos parar isso, chega de mortes vamos acabar com isso antes que seja tarde.

Jack: Fechou então, vamos galera, amanhã teremos um dia longo que pode ser o ultimo de nossas vidas então vamos descansar.

Após isso eles vão embora e ficamos eu e Anne na praça:

Anne: Tom, isso e serio, tem certeza que conseguiremos?

Tom: Temos que tentar, não tem outra escapatória, e isso ou mais pessoas irão morrer.

Anne: Eu não quero que mais pessoas morram, mas eu também não quero perder você Tom, eu sei que a essa altura você já deve saber disso, mas eu te amo, do jeito que eu nunca amei ninguém.

Após essas palavras eu a beijo e digo:

Tom: Eu também te amo, pode ter certeza que nada nem ninguém vai separar a gente, vamos conseguir.

Anne: Tom, posso dormir na sua casa hoje? E o único jeito de eu conseguir dormir um pouco, se eu ficar sozinha no meu quarto a tensão vai me destruir.

Tom: Pode sim, e claro, agora vamos para a casa descansar, porque temos que estar descansados e preparados para amanhã, Porque a partir do momento em que entrarmos naquela mata só Deus sabe oque vai acontecer, e o mais importante, só Deus sabe se nós iremos sair de lá...

Continua....

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória