FANDOM


Essa historia sera dividia em 5 partes para não ficar insuportavelmente grande

Era uma tarde ensolarada de sábado, estávamos de mudança para outro estado, eu sabia que isso não seria uma coisa boa, mas ainda me restava alguma esperança de também não ser tão ruim assim. Depois de um longo dia de viagem chegamos ao destino, e a primeira coisa que eu pensei ao ver minha casa “nova” era, “só pode estar de sacanagem”, assim que descemos do carro virei para meu pai e disse sarcasticamente:

- Você não me disse que iriamos gravar um filme de terror.

- Deixe de bobeira, e uma boa casa e a comprei por uma pechincha vai valer a pena você vai ver, disse meu pai com um sorriso bobo no rosto.

Realmente, a única coisa que deveria ser boa naquela casa era o preço, porque de resto, era uma casa velha, grande pra caramba, feia, e com uma floresta sinistra atrás, agora sei porque ela devia ser tão barata. Mesmo incomodado com a minha nova realidade tudo oque eu poderia fazer e aceita-la, então entrei na casa (que por sinal era tão estranha por dentro quanto era por fora), e corri para o segundo andar visando pegar o melhor quarto antes que meus irmãos o pegassem. Assim eu fiz, peguei o quarto com uma grande janela e bastante espaço, estranhamente eu adorava a vista que meu quarto tinha da floresta, fiquei uns 5 minutos olhando fixamente para ela, depois disso fui ajudar minha família a posicionar os moveis no lugar adequado, e mais tarde fui desfazer minhas malas.

Ao final do dia estávamos todos cansados e com fome, então enquanto minha mãe encomendava uma pizza (afinal cansada do jeito que ela estava ela não iria cozinhar né) e meu pai estava “desmaiado” no sofá eu e meus irmãos fomos para fora acompanhar o por do sol. Depois de dar uma volta no quintal, encontramos uma cadeira de balanço perto da floresta e sentamos os três lá, e após isso minha irmã (que tinha a mesma idade que eu, 15 anos) respirou profundamente e disse:

Mika: Pois é, cá estamos nós, só espero que isso realmente valha a pena.

Tom: Vida nova, pessoas novas, cidade nova, vai ser difícil começar tudo do zero, mas eu acho que conseguiremos, Disse eu tentando ser otimista.

John: Eu não teria tanta certeza Tom, isso vai ser um inferno você pode ter certeza. Lá nos tínhamos tudo, porque que esses cabeça oca (se referindo aos nossos pais), não percebiam isso? Agora estamos em uma merda de lugar que não conhecemos ninguém, e nem sabemos qual devera ser nosso próximo passo, estamos ferrados, Disse John meu irmão mais velho.

Por mais que eu tentasse ser otimista eu concordava com John, eu sabia que isso foi desnecessário, mas com Mika duvidosa e John completamente revoltado, eu mesmo desanimado também tive que ser o otimista:

Tom: Tudo vai dar certo, vai demorar, mas vamos nos adaptar a isso, Disse eu tentando ser otimista novamente.

Mãe: Gente a pizza chegou venham comer.

Meus irmãos entraram voados, porque mesmo cansados a fome fala mais alto, e eu fiquei para trás. Enquanto eu lentamente levantava da cadeira e me virava para ir para casa, pude ter certeza de ouvir passos na floresta, me virei em direção a ela e olhei atentamente, mas não vi nada, “tudo bem, eu estou muito cansado, devo estar imaginando coisas” eu pensei, então corri para dentro para comer a pizza antes que meus irmãos acabassem com ela.

Após comer e conversar mais um pouco com meus irmãos, fui dormir. Acordei as 3:00 da manhã com sede e sendo um conhecedor de creepypastas pensei, “Merda, tinha que ser logo as 3:00 da manhã ? eu tinha mesmo que sentir sede logo na hora morta ?” mas como eu não acreditava muito nessas coisas eu desci e fui beber água. Feito isso dei um pulo quando que ao me virar pude ver um vulto passando correndo pela janela da cozinha.

Tom: Que merda foi essa!?

Após esse grito fiquei surpreso de minha família não acordar, então me recuperando do susto, pegando uma faca na cozinha e juntando o pouco de coragem que eu tinha, abri a porta da cozinha e olhei para os lados.

Tom: Nada, acho que estou ficando louco, mas eu podia jurar.....

Meu pensamento foi interrompido quando vi uma silhueta humanoide e muito grande em meio às árvores. Em choque e sem reação fiquei ali encarando o “ser” lentamente se virar e desaparecer em meio à escuridão. Eu queria ir atrás dele, estava me sentindo incrivelmente tentado a ir, mas o medo falou mais alto, então fechei a porta, e disse para mim mesmo:

Tom: Cara, e melhor isso ter sido efeito do sono, porque se não for temos um problema aqui.

Buscando não pensar nisso fui para o meu quarto dormir e tentar esquecer oque aconteceu, passando pela janela pude reparar de canto de olho novamente o “ser” em meio às arvores, mas ao olhar atentamente não havia nada lá, então confuso e com medo fui dormir. Na manhã seguinte resolvi não contar nada sobre isso para ninguém, pois com certeza não acreditariam em mim e me chamariam de maluco. Pela tarde, estava em meu quarto ouvindo musica e navegando na internet, ate que por impulso olhei para a janela, e não pude crer no que estava vendo, havia alguém lá, dessa vez tive certeza então imediatamente levantei da cadeira e corri feito o flash para a porta dos fundos.

Do lado de fora a surpresa, novamente não tinha ninguém lá, minha irmã veio ate mim e me perguntou:

Mika: Oque foi Tom? Porque esta com essa cara de espanto?

Tom: Tinha alguém lá, em meio as arvores, eu o vi ontem de madrugada, mas achei que estava delirando por causa do sono, mas agora não tenho duvidas, definitivamente havia alguém lá.

Mika: Tá falando serio ou esta me zoando?

Tom: É serio pó, tem alguém lá na floresta, e eu vou lá descobrir quem e.

Mika: Pera ai, eu vou com você.

Após um tempo de caminhada na floresta, já cansados estávamos quase voltando para casa até que Mika com um olhar de surpresa fala:

Mika: Tom olhe, tem algo ali naquela arvore.

Ao chegar mais perto vejo que se trata de uma folha de papel colada na árvore, nela havia um desenho de um circulo com um x no meio e a frase, “ele quer você”, minha irmã imatura como sempre me diz:

Mika: Hum, olha só tom ele quer você hahahaha.

Tom: Vai se catar.

Mika: E brincadeira seu chato mal humorado, mas falando serio, você que fez isso para me zoar, né?

Tom: E claro que não sua lesada, alguém botou isso aqui querendo zoar a gente, devem ser nossos vizinhos de sacanagem.

Então, tensos com tudo isso, nós viramos para ir embora, mas assim que dei alguns passos senti uma dor de cabeça colossal, e minha vista ficou toda ofuscada pelo oque parecia ser um tipo de estática. Só tive tempo de gritar “AI MERDA, ME AJUDA MIKA”, e desmaiei ali mesmo, mas antes de desmaiar pude ver alguém, ou algo se aproximando lentamente de mim, não me lembro ao certo como ele era, mas era magro e muito grande.

Acordei horas depois no hospital, minha família estava lá do meu lado, mesmo fraco perguntei para eles:

Tom: Onde eu estou? O que aconteceu?

Mãe: Esta no hospital, você estava andando com a Mika pela mata, quando começou a passar mal e apagou.

Tom: Ela está bem?

Mãe: Sim, ela foi apenas ao banheiro, mas esta bem sim, agora descanse vamos te levar para casa em breve.

Após algumas horas, recebi alta e fui para casa, e assim que cheguei lá fui dormir, pois tinha aula no dia seguinte. Após abrir os olhos vejo que não estou mais em casa, eu estava em uma rua deserta, estava com algo na mão, mas não conseguia abaixar para ver oque era, e dava para perceber que eu estava com uma mascara o porquê eu não sei, eu sentia meu corpo, mas não conseguia controla-lo e algo bizarro só de explicar, mas vai por mim, e mais bizarro ainda sentir isso. Então eu comecei a caminhar em direção aos fundos de uma casa, abri uma janela e entrei dentro dela.

Lá dentro estava tudo muito escuro, a única coisa que iluminava a casa era a luz da televisão, sem saber por que fui em direção a ela, e ao me aproximar vi que tinha um homem sentado no sofá em frente a ela, e a atitude que eu tomei fez meu coração disparar, sem qualquer controle do meu corpo, ergui minhas mãos e vi que oque estavam nelas era um machado, então sem qualquer cerimonia cravei-o na cabeça do homem. Após isso “eu” comecei a rir como um psicopata, parecia que a única coisa que eu controlava era meu pensamento, porque minhas ações eram completamente involuntárias. Depois disso, me dirigi à escada e subi, no segundo andar havia três quartos, entrei no primeiro e fui em direção à cama onde dormia uma mulher, então lentamente me movi na sua direção, e quando já estava perto o suficiente dei-lhe uma machadada no estomago, a mulher imediatamente soltou um grito de dor, e eu comecei a rir novamente, mas não uma risada forçada, era como se eu estivesse amando fazer aquilo, depois de um tempo me deliciando com aquela cena, retirei meu machado da barriga dela e enquanto ela agonizava e sofria eu, gargalhando de felicidade, olhava para seu estomago aberto e seu sangue que lentamente transformava o branco do lençol em vermelho.

Até que após um tempo ergui meu machado novamente e o cravei bem no meio de seu rosto, nesse momento não consigo descrever a paz e felicidade que assistir essa cena me trouxe, eu comecei a gargalhar novamente, e lentamente querendo aproveitar ao máximo o prazer que essa cena me trouxe, retirei o machado de seu rosto, e fiquei ali assistindo o rosto da mulher divido em duas partes.  Depois disso sarcasticamente disse:

-É, parece que você não era tão bonita por dentro quanto era por fora hahahaha.

Após esse comentário sarcástico fui em direção ao corredor, e entrei no segundo quarto, lá dentro não tinha ninguém, fiquei surpreso, mas ao ver que a cama estava toda bagunçada, eu sabia que tinha mais alguém na casa. Então me dirigi ao terceiro quarto, mas nada, apenas mais uma cama bagunçado, então furioso gritei:

-Apareçam seus vermes medrosos, eu sei que vocês estão aí em algum lugar.

Após isso ouço uma suave respiração dentro do armário, então com um sorriso malicioso abro a porta do armário, e logo após isso, tomo um baita de um soco na cara que nem vi de onde veio e ouço alguém gritando “CORRE LOGO VAI!!!”  então vejo uma criança correndo em direção a porta, e um adolescente  na minha frente, “você vai pagar por isso desgraçado”  ele me disse, então fui em direção a ele com meu machado, mas ele me surpreendeu com um bastão, e deu uma paulada em meu braço, e com o impacto e a dor eu deixo meu machado cair do chão, então parto pra cima dele na mão mesmo. Depois de lhe dar alguns socos, e tomar alguns também, tomo-lhe o bastão e o derrubo com uma porrada certeira na cabeça, mas mesmo no chão, eu não paro, e acerto dezenas de vezes sua cabeça, até restar apenas os miolos e o sangue dele no chão. Depois de estraçalhar a cabeça do garoto peguei meu machado e fui à busca da garotinha.

Ao sair pela porta dos fundos vejo que há um celeiro no final do quintal, pobre garotinha, tão desesperada para se esconder nem viu que deixou varias pegadas pela lama no chão. Entrando no celeiro procuro atentamente por ela, e para provocar ela digo:

-Apareça minha querida, papai, mamãe e seu irmão estão mortos, eles não virão te ajudar, se você aparecer prometo ser bonzinho e não te fazer sofrer muito.

 Após dizer isso ouço um leve choramingo em meio ao feno e ao olhar atentamente, lá esta ela, pobre, indefesa e chorando, então ela tenta correr, mas eu acerto uma machadada em cheio em sua perna, caída com muita dor e soluçando de tanto chorar ela olha para mim e eu maldosamente digo:

-Te achei lindinha hahahaha

Então eu a pego pelo pescoço, e a taco com força no chão, e dou uma machadada em suas costas, novamente começo a gargalhar com a situação, depois viro seu corpo e dou-lhe mais uma machadada, dessa vez no estomago, e a assisto lentamente engasgar com seu sangue e seu choro, depois de me divertir o suficiente olho para ela e digo:

-Não se preocupe querida, em breve você estará com sua família novamente.....ou não hahahaha.

Então ergo meu machado e dou-lhe uma machadada no pescoço, decapitando-a, depois disso, tenho uma crise de risos incontrolável, até que minha cabeça dói, e novamente minha visão se transforma em estática e ao olhar para o lado com o pouco de visão que me restava vejo novamente aquele homem alto e magro, ele usava uma roupa preta, aparentemente um terno, não pude ter certeza, pois minha visão estava fortemente afetada pela estática, então eu apago lá mesmo, e quando eu acordo, surpresa, tudo não passou de um pesadelo horrível, eu estava lá de boas na minha cama, então respiro profundamente, agradeço a Deus por ter sido só um sonho e vou me arrumar para ir para a escola, mas no fundo eu sinto que depois desse sonho algo mudou em mim.

.......Continua

Parte 2: [1]

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória