Ordenar por

  • Todos
  • Seguindo
• 2/10/2019

Jack Risonho

Foi um bom dia de verão, meu filho de 5 anos, James, estava brincando no quintal de nossa casa suburbana. James sempre foi um garoto quieto, ele brinca sozinho, ele nunca teve muitos amigos, mas ele sempre teve uma imaginação selvagem. Eu estava na cozinha alimentando nosso cachorro Fido, quando ouvi o que soava como se James estivesse falando com alguém no quintal. Não sei com quem ele estava falando, ele poderia finalmente ter feito uma amiga? Sendo uma mãe solteira, é difícil para mim ficar de olho no meu filho, então decidi ir lá fora e dar uma olhada nele. Quando entrei no quintal fiquei um pouco confusa, porque James era a única pessoa lá atrás. Ele estava falando sozinho? Eu poderia jurar que ouvi outra voz. "James! É hora de entrar." Eu chamei para ele. Ele entrou e sentou-se à mesa da cozinha, era a hora do almoço, então eu decidi fazer um sanduíche de peru para ele. "James. Com quem você estava falando lá fora?" Eu perguntei. James olhou por um momento, "Eu estava brincando com meu novo amigo", ele disse sorrindo. Coloquei-lhe um pouco de leite e continuei a forçar, como qualquer boa mãe faria. "Seu amigo tem um nome? Por que você não pediu a ele para almoçar com a gente?" Eu perguntei. James me encarou por um momento antes de responder: "O nome dele é Jack Risonho". Eu estava um pouco assustada com o que ele havia dito. "Oh? Esse tem um nome estranho. Como é seu amigo?" Eu perguntei um pouco confusa. "Ele é um palhaço. Ele tem cabelos compridos e um grande nariz de cone. Ele tem braços longos e calças folgadas, com meias listradas, e ele sempre sorri." Percebi que meu filho estava falando de um amigo imaginário. Eu suponho que é normal que crianças da sua idade tenham amigos imaginários, especialmente quando ele não tem amigos reais para brincar. Provavelmente é apenas uma fase.
O resto do dia passou como de costume, e estava começando a ficar tarde, então eu coloquei James na cama. Dei-lhe um beijo e certifiquei-me de desligar a luz antes de fechar a porta. Eu estava bem cansada, então decidi ir dormir um pouco. Eu tive um pesadelo terrível ... Estava escuro. Eu estava em algum tipo de parque de diversões decadente. Eu estava com medo, correndo através de um campo infinito de tendas vazias, passeios quebrados e cabanas de jogos abandonadas. O lugar todo tinha uma aparência horrível. Tudo era preto e branco, os animais empalhados de prêmio prendidos em forcas nas cabanas de jogo, todos com sorrisos doentes costurados em seus rostos. Parecia que o parque inteiro estava olhando para mim, mesmo que não houvesse outra coisa viva à vista. Então, de repente, comecei a ouvir uma música tocar. Os sons de Pop Goes the Weasel sendo tocados em um squeezebox,ecoavam pelo parque, era hipnotizante. Segui seu tom para a tenda de circo quase em transe, incapaz de impedir que minhas pernas se movessem para a frente. Era escuro como breu, a única luz vinha de um único holofote brilhando no centro do grande topo. Enquanto eu caminhava em direção à luz a música diminuiu, eu me vi cantando junto incapaz de parar.A música parou logo antes do clímax e, de repente, as luzes se acenderam. A intensidade das luzes era praticamente ofuscante, tudo que eu podia ver era uma pequena silhueta escura em minha direção. Então apareceu outro, e outro e outro. Havia dezenas deles, todos vindo em minha direção. Eu não conseguia me mover, minhas pernas estavam congeladas, tudo que eu podia fazer era observar as figuras assombrosas se aproximando. Quando se aproximaram, pude ver ... ERAM CRIANÇAS! Quando olhei para cada uma, percebi que estavam todos horrivelmente desfigurados e mutilados. Alguns tinham cortes em todo o corpo, outros estavam gravemente queimados e outros estavam com membros faltando, até mesmo olhos! As crianças me envolveram, arranhando minha carne, arrastando-me para o chão e me rasgando. Quando as crianças me despedaçaram e eu desvaneci, tudo que eu ouvia era um riso, horrível, assustador, malvado, riso.
Acordei na manhã seguinte suando frio. Depois de respirar fundo algumas vezes, olhei e vi que algumas das figuras de ação de James estavam posicionadas de frente para mim em cima da minha cabeceira. Eu suspirei, James provavelmente tinha acordado cedo e colocado isso aqui. Eu juntei os brinquedos e fiz meu caminho para o quarto de James, no entanto, quando abri a porta, James estava dormindo. Eu apenas encolhi os ombros e coloquei os brinquedos de volta em sua caixa de brinquedos, e fui para a sala de estar. Pouco tempo depois, James acordou e eu fiz o café da manhã. Ele estava quieto e parecia um pouco grogue, talvez ele também não tivesse dormido bem. Eu decidi perguntar a ele sobre os brinquedos, "James querida, você colocou os brinquedos no quarto da mamãe esta manhã?" Seus olhos dispararam para mim por um momento, em seguida, rapidamente olhou de volta para seu cereal. "Jack fez isso." Revirei os olhos e respondi: "Bem, você diz 'Jack Risonho' para manter os brinquedos em seu quarto". James assentiu e terminou o café da manhã, então decidiu ir brincar no quintal.
Fui relaxar na sala de estar e devo ter cochilado porque acordei algumas horas depois. "Merda! Eu preciso verificar James." Eu estava um pouco preocupado, tinha passado mais de duas horas e não chequei ele. Eu fui para o quintal, mas James não estava mais lá. Eu estava ficando nervoso então eu chamei para ele: "JAMES! JAMES ONDE ESTÁ VOCÊ ?!" Só então ouvi uma risadinha vindo do jardim da frente. Eu corri através do portão para a frente da casa. James estava sentado na calçada. Dei um suspiro de alívio e caminhei até ele, "James, quantas vezes eu te disse para ficar no seu quarto... James, o que você está comendo?" James olhou para mim, em seguida, enfiou a mão no bolso e tirou uma mão cheia de doces duros em todas as cores. Isso me deixou muito nervosa, "James, quem te deu esse doce?" James apenas me encarou sem falar. "JAMES! Por favor, diga à mamãe onde você conseguiu aquele doce." James abaixou a cabeça e disse "Jack deu para mim". Meu coração afundou, eu me ajoelhei para olhá-lo nos olhos, "James, eu já tive o suficiente dessa porcaria do Jack Risonho, ELE NÃO É REAL! Agora, esta é uma situação muito séria e eu preciso saber quem te deu o doces! Eu pude ver os olhos do meu filho lacrimejarem: "Mas mamãe, Rir Jack me deu o doce." Fechei os olhos e respirei fundo, James nunca mentiu para mim, mas o que ele está me dizendo é impossível. Eu faço ele cuspir o doce e eu jogo o resto, James parece estar bem. Talvez eu esteja apenas exagerando, afinal, ele poderia ter conseguido de Tom e Linda da porta ao lado, ou o Sr. Walker na rua. De qualquer forma, vou ter que ficar de olho em James. Naquela noite, coloquei James na cama como de costume e decidi ir para a cama cedo.
De repente, fui acordado por um estrondo vindo da cozinha. Eu pulei da cama e corri pelas escadas. Quando cheguei à cozinha, fiquei horrorizado. Cada coisa nos balcões havia sido jogada no chão, e nosso cachorro Fido pendia morto da luminária. Seu estômago foi aberto e recheado com doces, o mesmo tipo que James estava comendo mais cedo naquele dia. Meu choque foi rapidamente quebrado por um grito agudo vindo do quarto de James seguido por estrondos altos. Eu rapidamente peguei uma faca na gaveta e subi as escadas com a velocidade que só uma mãe cujo filho está em perigo poderia ter. Eu atravessei a porta e acendi as luzes. Tudo no quarto foi derrubado e jogado no chão, meu pobre filho em sua cama chorando e tremendo de medo, uma poça de urina manchando os lençóis. Eu peguei meu filho e corri para fora da casa e fui ao lado da casa de Tom e Linda, Felizmente eles ainda estavam acordados. Eles me deixaram usar o telefone e liguei para a polícia. Não demorou muito para chegar, e eu expliquei o que tinha acontecido, eles olhavam para mim como se eu fosse louco. Eles revistaram a casa, mas tudo o que encontraram foi um cachorro morto e dois quartos destruídos. O policial me disse que alguém provavelmente entrara em casa e fizera isso antes de fugir rapidamente quando me ouviram subindo as escadas. Eu sabia que não era verdade. Todas as portas estavam trancadas e nenhuma das janelas estava aberta, o que quer que estivesse na minha casa não vinha de fora. No dia seguinte, James ficou dentro, eu não queria que ele deixasse minha visão. Entrei na garagem, encontrei o monitor do bebê e o coloquei em seu quarto, se alguma coisa entrar em seu quarto esta noite, eu poderia ouvir. Fui para a cozinha, peguei a faca maior da gaveta e coloquei na mesa de cabeceira. Amigo imaginário ou não, não vou deixar nada machucar meu garotinho.
Logo a noite chegou. Eu coloquei James na cama, ele estava com medo, mas eu prometi a ele que não ia deixar nada acontecer com ele. Eu o coloquei dentro, dei-lhe um beijo e liguei a luz noturna. Antes de fechar a porta, eu sussurrei para ele: "Boa noite, James, eu te amo". Tentei ficar acordada o máximo que pude, mas depois de algumas horas me senti caindo. Meu bebê estaria seguro durante a noite e eu precisava dormir. Assim que deitei a cabeça no travesseiro, ouvi um ruído suave vindo do monitor do bebê que pus na mesa de cabeceira. No começo, soava como interferência, como o tipo que um rádio faria. Então se transformou em um gemido suave. James estava dormindo? Então eu ouvi, a risada do meu pesadelo, aquela risada horrível. Eu saltei da cama e peguei a faca debaixo do meu travesseiro. Corri para o quarto de James e abri a porta. Eu tentei o interruptor de luz, mas ele não ligava. Dei um passo e pude sentir o líquido quente e grosso nos meus pés. De repente, a luz noturna de James veio e eu pude ver o horror absoluto colocado na minha frente.O corpo de James estava pregado na parede, as unhas perfurando suas mãos e pés. Seu peito foi cortado bem aberto e seus órgãos pendurados no chão. Seus olhos e língua foram removidos junto com a maioria de seus dentes. Eu estava enojada, eu mal podia acreditar que este era meu bebê menino. Então eu ouvi de novo, o suave gemido desesperado. JAMES AINDA ESTAVA VIVO! Meu bebê, meu pobre bebê, com tanta dor que mal se agarra à vida. Eu corri através do quarto e vomitei no chão, mas minha doença foi interrompida por uma gargalhada horrível vindo de trás de mim. Eu me virei enquanto ainda limpava a bile da minha boca, então, das sombras surgiu o demônio responsável por todo esse horror, Jack Risonho. Sua pele branca fantasma e cabelos negros emaranhados caíam até os ombros. Ele tinha olhos brancos penetrantes cercados por anéis negros escuros. Seu sorriso torcido revelou uma fileira de dentes pontiagudos, e sua pele não parecia pele alguma, quase parecia borracha ou plástico. Ele usava uma roupa preta de palhaço preta e branca com mangas listradas e meias. Seu corpo em si era grotesco, seus longos braços pendiam de sua cintura e o modo como ele estava equilibrado fazia com que ele parecesse quase desossado, como um boneco de trapos. Ele soltou uma risada doentia, como se para deixar-me saber que ele estava satisfeito com a minha reação ao seu "trabalho". Ele então se virou lentamente na frente de James e começou a rir ainda mais com a visão horrível que ele havia exposto. Isso foi o suficiente para me sacudir do meu terror, eu rebati, "afaste-se dele, você é um BASTARDO!" Eu corri para o monstro levantando a faca acima da minha cabeça e apunhalei-o, mas assim que a faca o tocou ele desapareceu em uma nuvem de fumaça negra. A faca atravessou e perfurou o coração ainda pulsante de James, espirrando sangue quente no meu rosto ...
Não ... o que eu fiz? Meu bebê, eu matei meu bebê! Eu imediatamente caí de joelhos, e eu podia ouvir as sirenes à distância ficando mais altas ... Meu menino, meu doce menino ... Eu prometi que a mamãe iria te proteger ... Mas eu falhei ... me desculpe James ... Eu sinto muito... A polícia logo chegou para me encontrar na frente do meu filho, ainda empunhando a faca coberta com o sangue do meu bebê. O julgamento foi curto, insano. Fui colocado na Casa Phiropoulos para o Criminally Insane, onde estive nos últimos 2 meses. Não é tão ruim aqui, a única razão pela qual eu estou acordado agora é porque alguém está jogando Pop Goes the Weasel do lado de fora da minha janela ... Eu vou falar com os assistentes sobre isso de manhã ...
1 0
• 2/9/2019

Coluna quebrada.

Estava eu num dia comum ao por do sol, caminhando por uma colina, vejo a minha casa, viver por lá nunca foi uma boa ideia desde aquele dia ruim, ruim se resume a toda a dor que eu sentir após está andando de bicicleta naquela decida constante onde é lá que cairei para minha ultima decida...( Crack ! )

Acordo supreso ao descobrir que tudo era um sonho ruim vindo da minha futura realização, mas não uma precaução a se tormar cuidado, pois eu moro em um simples apartamento, me levanto do sofá e acabo me deixando em conta que a televisão havia estado ligada, tomo um banho, almoço e vou direto ao trabalho.

As coisas vão bem até se ter em conta de que me vejo atrasado, dirijo o mais rapido que posso até chegar ao meu destino...mas então..o carro se veio há alta velocidade, o imenso descontrole se veio a tona após eu me deparar de que não era eu que estava a me apressar, e sim um tal garoto que veio a minha frente um garoto com o corpo completamente machucado.

Eu fiquei assustado ao notar de que parecia ter sido eu que o atropelei, por um momento ao perceber de que ele disse que precisava de ajuda perguntou:
- Sinto uma dor nas costas, não sei onde ficar a minha casa, estou perdido.

- O que você foi fazer pra está desse jeito ? Eu disse.

- Descer de uma colina, eu cair, perdir o controle, agora não sei onde eles estão.

Noto que ao ver o chão, não havia sombra alguma a lhe serguir, é como se ele mal existisse...já não era mais a mesma situação, ele acaba sumindo lógo após eu voltar a minha realidade atual, desde aquele dia voltei a praticar mais exercicios para puder me comparar aos meus colegas, mas já não era mais como era antes.

Era treino pra tudo, não aguentava ter que viver pelo resto da vida equilibrando esse corpo com essas dietas e corridas que parecem não ter sentido, ao longo do dia, acabo de chegar aquele apartamento de curto prazo, vou até a geladeira beber uma porção equilibrada d'água, logo então vou em direção ao meu sofá, desligo a tv, e começo a fechar os meu olhos...

Quando acordo, sinto um terrivel desconforto vindo das minhas costas, de fato acabei dormindo de mau jeito e agora começo a sentir diversas dores ao me levantar, é como ser perfurado por muitas agulhas enquanto tenta se levantar de uma pedra, vou indo em direção a porta até cair pelo tapete ao ouvir um som acrescentado de ossos sendo deslocados para fora de sua ordem formada, se mechendo lentamente a cada sussurro que digo os ossos vão rasgando a minha carne, me desespero pelo tamanho sofrimento, já não consigo me levantar para abrir a porta, não consigo fazer nada.

Acho que minha coluna está quebrada.

_"Continua"_...
1 1
• 2/8/2019

Ok eu sei q vcs esperaram muito

YAYYYYY vai lançar a pt 7 de Esconde esconde YAYYYYY

Vai lançar dia 31 de fevereiro!

Daí vcs perguntam "quando q vai acabar essa série?!"
Daí vai acabar na sexta-feira 13 de setembro, ou seja vai ter muitas partes rsrs
0 2
• 2/2/2019
1 1
• 1/26/2019

Olá

É um prazer conhecer vocês.




... Só queria dizer oi mesmo, antes de postar algo e me estranharem por ter aparecido do nada.

(* ・v・)
2 2
• 1/25/2019

A arvore do suicídio

Bem, eu não sei se você acredita em fantasmas, só sei que o que eu vi foi real, eu sou Helena Delly, eu tive 3 casamentos forçados, meus pais me colocaram para casar com 3 brutos ignorantes, só porque os mesmo tinham condições e riquezas, nesse terceiro casamento eu tive uma filha, minha pequena e preciosa Hanna, ela era meu tesouro, minha razão de viver, quando ela completou seus 3 anos eu me divorciei do meu marido e fiquei com a guarda dela. algumas semanas depois me mudei para uma cidade bem pacata e bela, o único problema era: como eu iria trabalhar e cuidar da minha filha  ao mesmo tempo? Quando eu morava com meus pais eles cuidavam da Hanna, agora só somos eu e ela, eu estava começando a entrar em desespero, mas eu conheci o thomas, ele era meu vizinho e me contou que aos 13 anos seus pais sofreram um acidente de carro e ele teve que se virar para cuidar das 3 irmãs, e nisso ele se ofereceu para cuidar da Hanna enquanto eu etivesse no trabalho, no começo eu rejeitei, pois eu nem o conhecia direito para entregá-lo minha Hanna, mas depois de um bom tempo a gente foi se aproximando mais ainda, e no final ele me pediu em casamento. ele não parecia que nem os outros, ele era quieto e na sua, não se enfurecia fácil e era um amante da leitura, os primeiros meses foram ótimos, viajavamos para lugares diferentes juntos, nossa renda era boa, e a sorte estava caindo em nossas mãos, mas ele começou a ficar.... abusivo. ele não gostava quando eu ia para o trabalho mais cedo e voltava um pouco depois da hora, e ele me ligava toda hora sem descanso, a Hanna até me contou que as vezes ele se comportava com um pouco de brutalidade, se jogava na parede, quebrava alguma coisa e depois a enterrava, talvez para eu não perceber. Mas daí ficou pior, ele começava a me ameaçar, me xingar e xingar a Hanna, ele começou a pegar meu dinheiro do trabalho e gastar em bebidas, aquilo começou a ser o inferno e eu já estava cheia disso, então em uma noite eu disse que ia embora dali e que ia o denunciar a policia. E foi ai que ele se irritou mais ainda e me jogou na parede, disse que se eu contasse algo para a policia ele não ia me machucar, mas sim machucar a Hanna, eu comecei a gritar e ele quebrou uma garrafa de whisky vazia no meu rosto, que começou a arder como fogo, e os dias em diante foram assim, eu ia para o trabalho, ele ficava em casa com a Hanna, eu voltava, ele pegava meu dinheiro e gastava tudo em bebidas, era um inferno. Eu entrei em depressão, toda vez que eu me olhava no espelho eu pensava em tirar minha própria vida, mas eu me lembrava da Hanna, e isso me fazia viver mais um dia naquele inferno, tempos se passam e eu percebo que minha pequena andava meio quieta, e ela nunca foi assim, ela era alegre e nunca ficava quieta por muito tempo. Enquanto eu dava banho nela eu percebi cortes em suas costas, eu perguntei se o Thomas tinha feito isso com ela, e ela negou com uma cara triste, mas eu sabia que era mentira, então eu pedi para ela se trancar no quarto e fui direto a Thomas. "Como pode?! Você disse que se eu não contasse a polícia você não a machucaria seu covarde!" Eu gritei sentindo as lágrimas rolarem em meu rosto, "essa praga não cala a boca por um segundo!, e alias, por que eu me importaria se essa coisa nem é minha filha?" E essa foi a gota d'água, eu bati em seu rosto com todo ódio que eu tinha, e ele avançou em cima de mim e começou a me socar. E daí...eu acordei no hospital, não sabia mais o que havia acontecido, um medico chegou do meu lado e me contou do ocorrido, eu perguntei sobre minha filha e ele exitou um pouco, mas ai ele resolveu me contar de uma vez: "eu não sei exatamente como aconteceu, não me deram muitas informações, só disseram que quando chegaram na casa você estava desmaiada e a porta do quarto da criança estava arrombada, não encontraram nenhum sinal dela, me desculpe". Naquele exato momento eu não conseguia conter as lágrimas, minha pobre filha, desaparecida, talvez até morta, e aquele cafajeste foragido, era só isso que me faltava agora, alguns meses se passaram e eu fiquei no hospital, sozinha, só observando pela janela as crianças brincando e sorrindo, isso me lembrava minha pequena Hanna, eu sentia falta da sua risada, tão doce e tão inocente. Em uma noite bem escura, eu não conseguia dormir, meus olhos não paravam de se fixar na janela, até que ouvi uma risada, uma risada familiar, a risada da minha pequena Hanna, eu me levantei imediatamente e olhei pela janela, eu não acreditava no que eu estava vendo, minha pequena Hanna indo diretamente para a floresta, sem pensar duas vezes eu pulei a janela e fui atrás, gritando seu nome toda vez, até chegar em uma arvore. Eu não via mais ela, sua risada havia parado, a minha frente havia só uma arvore com um monte de corpos pendurados, sinceramente isso não me assustou no momento, eu consegui ver que tinha uma corda sem nenhum corpo preso, talvez era para eu me colocar lá, minha vida já está arruinada mesmo. Eu subi no galho onde estava a corda e a coloquei em meu pescoço, ao olhar para baixo eu exitei, eu não acreditava que tinha chegado a esse ponto, não não, eu não podia, mas eu senti alguém tapando meus olhos e sussurrando em meu ouvido: "não se preocupe com a dor que sentira agora, pois eu prometo que quando isso acabar você estará feliz novamente, apenas pare de chorar", Eu não sei porque, aquela voz era tão suave e calma, e então eu me decidi, pulei do galho e tudo ficou escuro.... Quando abri meus olhos eu vi meu tesouro agarrada em meus pés sorrindo, eu me agachei e a abracei, meu anjo, minha vida, estava finalmente comigo, "vamos para casa mamãe" ela falou me puxando para frente, eu dei uma última olhada para trás e vi aquela árvore, com todos aqueles corpos e mais um em destaque, o meu, embaixo dele eu vi uma moça, ela sorria e se despedia da gente, eu sorri e sussurrei para ela: "Obrigado"..... (oi, bem essa é a minha primeira história de terror, desculpe se tiver algum erro de português, eu estou fazendo isso bem tarde, mas espero que tenham gostado)
1 1
• 1/20/2019
1 0
• 1/20/2019

...

Só pra avisar, isso é uma conta secudária, que eu uso para comentar, discutir e tals, não faço creepypastas nessa conta. Minha conta primaria é chamada PurpleHat666

2 0
• 1/20/2019

Meme - Jeniffer (Creepypasta)

Jeff: *vendo Netflix* :) Sally: (Já sei >:3) Dps... Sally: Hey, Jeff Jeff: Um? -_- Sally: A gente fez uma pequena surpresa... Jeff: QUAL É???? *^* Jane: O NOME DELE É JENIFFER!!! Laughing Jack: E EU ACHEI ELE NO CLOSET!!! Slender: ELE Ñ É MEUU AMIGO!!!! Sally: MAS PODERIA SEEEERR!!!! Jeff: CHEGA DE JENIFFER, A GENTE JÁ SABE SEU NOME, P*****! DESINSTALA ESSE TINDER PELA AMOR DE DEUS!!!! QUEM FOI QUE TEVE ESSA IDEIA?! TODOS VCS!!! Sally: Fui eu! >:3 Jeff: Ah é... CORRA TODO MUNDO PQ VOU DAR UMA FACADA!!! Fim ;w; 😂😂😂
2 0
• 1/19/2019
1 1
• 1/19/2019

Vitor's Suicide

Family Day One Back School Back Home
Christmas Day Gift VHS Call Vitor's Suicide Watch TV Family Brother Go La Vegas Solo Home Sleep Wake Up Gun Shoot Head You Dead
Post image
2 1
• 1/19/2019

Sofrimento Eterno.

Olá, meu nome se chamava lucas, por um certo tempo, as coisas acabaram não se levando em conta da vontade que vinha em minha imaginação, não pudia deixar de evitar esse pensamento, eu queria morrer disse a eles, os meus parentes achavam que eu dizias essas coisas porque eu não aguentava mais viver, isto não era sofrimento para mim, eu não estava querendo os deixar de lado dessa historia, mas eles sempre diziam o que bem entendem, nunca se quer dão ouvidos para o que é de meu grande interesse, acham que eu tenho depressão, acham que eu me mataria pelo simples fato de está depressivo, não...

É curiosidade apenas, eu quero morrer para tentar provar se eles estão errados ou não, por mais que eu entenda que não haverá mais volta, não custa tentar descobrir a verdade, ou devo dizer...
....Um novo mundo.

Dizem as más linguas que ao nos suicidarmos, abrimos as portas para o nosso inferno, o inferno de seus pecadores, dispostos a cometerei os atos mais obscenos, crueis e tentadores, porque somos mais fracos do que o mal.

A essa noite, morrerei com as minhas próprias mãos, me matarei para provar se sua religião me afetará e minha jornada após a morte, será mesmo que minha alma sairá de meu corpo ? Provavelmente deverá cair sobre o chão, isto eu diria se eu fosse de acreditar em vossa vontade, que se dane o que os outros vão falar.

Está é a minha vontade !! -(Continua...)-
2 1
• 1/15/2019

THE RAKE

Baseado em fatos reais

Jack e sua família se mudaram para uma fazenda no sul da Flórida (EUA) era verão de 1989, Jack tinha 2 Filhos e a esposa os filhos se chamavam John e Sam.

Nos primeiros dias na fazenda John começou a ter pesadelos com uma criatura pálida, humanoide com olhos pretos profundos, ele relatou para seu pai um desenho que ele fez da criatura Jack ficou meio espantado com o desenho, e disse a família que ele iria a floresta para ver se encontraria a criatura ele procurou, procurou e n achou nada além de pegadas.

Quando foram dormir Jack e sua esposa e Sam também tiveram pesadelos com a criatura e depois na tarde eles concordaram que todos iriam juntos para a floresta para ninguém morrer. Eles foram a floresta eles encontraram mais desenhos da criatura porém John declarou que não desenhou eles, a família ficou assustada foi quando Sam deu um grito e foi puxada por alguém de capuz e com um saco Jack e John correram para pegar o homem de capuz porém quando tiraram o capuz não era ninguém e assim o casaco caiu e Sam foi libertada.

Continua...
Post image
2 0
• 1/15/2019

B

A
1 28
• 1/11/2019

oi gente

gente eu tive uns problemas e... eu vou sair da comunidade então até logo

3 1
• 1/10/2019

A imagem está completa.

Foxina(Elizabeth)tem seu lado bestial revelado com uma imagem que hoje eu revelo

Post image
3 2
• 1/10/2019

Enigma

1 nível: anagrama Erpa 2 nivel:ache as letras jsjdjfhaifjej+2837%7uijh76%Adkdjfhk737$-h%Çosjjeieji-#Uj738hdGhsufhi+-&U+$8+jejsj%Eajdjdj+$+ 3 nível:outro idioma Jaje Palavra final:
2 8
• 1/10/2019

Esconde,esconde pt 6

Bem depois de sairmos da cidade das abóboras nós fomos dormir ela na toca e eu numa barraca que eu mesmo arrumei. Era 3:09 da manhã e eu acordei com uma voz masculina grossa falando "levante-se Wirt" ( eu alterei o nome do personagem)
Eu fui sair da barraca e lá estava o lenhador mas dessa vez ele me disse para pegar o lampião dele e cuidar muito bem da alma de sua filha que foi amaldiçoada e acabou ficando presa no lampião.
Eu descobri que aquela voz que me acordou não era do Lenhador... e sim da Fera.

Continua...
Post image
3 3
• 1/9/2019
2 4
• 1/9/2019

Agenda

Quarta: Nada

Quinta: Esconde,esconde

Sexta: Nova temporada de 3:00 da manhã no siri cascudo

Sábado: Hypno

Domingo: A boneca Emília
2 2